Consulado de Curitiba reinclui os 82 nomes sumidos na lista de espera. “Uma vitória”, comemora Stolf

898

Os 82 nomes de ‘enfileirados’ que haviam sumido da lista de 2011 do Consulado Geral da Itália em Curitiba foram reconvocados, informou através das redes sociais o presidente do Comites – ‘Comitati degli Italiani all’Estero’, Walter Petruzziello que, por sua vez, segundo diz, foi informado pelo próprio Consulado. O tema foi objeto de denúncia pública feita, dia 10 último, pelo conselheiro Elton Stolf, através do portal Insieme, depois de ter tentado sem sucesso uma solução para o caso.

“O Consulado – escreveu Petruzziello ao denunciante – fez uma verificação e constatou um erro no sistema, convocando hoje mesmo os 82 nomes que haviam desaparecido da lista”. A chamada desses 82 nomes, segundo Walter, coincide com a convocação de outros três mil enfileirados, cujo prazo para a apresentação da documentação requerida para o reconhecimento da cidadania italiana por direito de sangue vai até 14 de dezembro próximo. Os números convocados vão de 39001 a 42.000.

Assim que soube da informação, o conselheiro Elton Stolf procurou contatar interessados para avisá-los que poderiam retomar seus processos, ao mesmo tempo em que dizia a Insieme estar satisfeito porque, pela primeira vez, o “Consulado de Curitiba reconhece o erro e o corrige”, embora “sem pedir as devidas desculpas aos prejudicados”. No vídeo gravado à distância que acompanha esta matéria, no começo da noite, Stolf  considerou a notícia “uma vitória”.

Também o presidente do Comites procurou capitalizar a situação ao postar em diversos grupos de discussão do FaceBook informação “que após a denuncia do Elton Stolf, de que na lista de espera de 2011 haviam sido eliminados 82 números, compareci, sexta-feira – 11/05 – ao Consulado e levantei o assunto, solicitando uma verificação. A Vice Cônsul estranhou mas prometeu fazer uma verificação física nos nomes citados, para ver se eles haviam enviado o formulário de inscrição. Hoje, apenas um dia útil após a reunião, o Consulado detectou o problema e convocou imediatamente aquelas famílias”.

“Como venho dizendo – acrescentou Petruzziello, que havia sido criticado duramente em dias anteriores -,  “é necessário dar tempo para que eu discuta os assuntos que me são trazidos, enquanto Presidente do Comites. É difícil ficar recebendo criticas sem que nos permitam buscar as soluções. De qualquer modo parabéns ao Elton Diego Stolf por ter levantado o problema e parabéns ao Consulado por ter verificado, reconhecido e corrigido o erro”.

Segundo Stolf, esse problema já havia sido levado à direção do Comites há algum tempo por repetidas vezes, e precisou torná-lo público para que “uma atitude fosse tomada”. A denúncia de Stolf serviu de pano de fundo para uma série de críticas aos serviços consulares, principalmente de Curitiba e de São Paulo, abrangendo também o agendamento para a expedição de passaportes. Muitos internautas se perguntam como isso continua acontecendo, uma vez que, com a cobrança da “taxa da cidadania”, o problema não é mais dinheiro.