Internautas organizam manifestações em Brasília, diante da Embaixada, e em São Paulo, diante do Consulado Geral da Itália

0
3342

Duas novas manifestações em protesto contra o “mau atendimento consular” italiano no Brasil estão sendo convocadas para os próximos dias: a primeira, dia 28 próximo, diante da Embaixada da Itália no Brasil, em Brasília, e a segunda, dia 12 de outubro próximo – um feriado -, diante do Consulado Geral da Itália em São Paulo.

Ambas as manifestações, por volta do meio-dia, estão sendo organizadas no âmbito de grupos formados nas redes sociais e têm em comum as chamadas ‘filas da cidadania’, as dificuldades no agendamento de passaportes e outros problemas do gênero que foram também objeto das críticas que ocasionaram o fechamento temporário e recente da página da Embaixada no Facebook.

Críticas e reclamações ao atendimento consular italiano no Brasil vêm aumentando desde que foi estabelecida, há mais de três anos, a cobrança da taxa de 300 euros para cada processo de reconhecimento da cidadania por direito de sangue, sem a correspondente e esperada melhoria dos serviços consulares. Este foi também um dos temas debatidos pelos presidentes de Comites – Comitati degli Italiani all’Estero, reunidos em Curitiba, no final da semana que passou. Recentemente, manifestações do mesmo gênero, denunciando o desmantelamento da rede consular italiana, foram convocadas pelo Maie – Movimento Associativo Italiani all’Estero diante dos consulados italianos e embaixadas de toda a América Latina.

No grupo “Cidadania Italiana – Área Livre” (um grupo FB que reúne mais de 103 mil pessoas) a convocação está sendo feita nos seguintes termos: “12/10 das 11 as 13 horas – manifestação na porta do consulado italiano de SP, na Paulista!! Vamos lutar pelos nossos direitos! Contra as filas e os maus serviços consulares! Tragam os parentes e as crianças! Faremos distribuição de doces!”. Em letras garrafais, o apelo que evoca uma frase do presidente do Comites do Recife, Daniel Taddone, durante a reunião do Intercomites, em Curitiba: “Andiamo! A la guerra!”

Na página do grupo “Contra as Filas dos Consulados Italianos no Brasil” (perto de 2500 inscritos no FB) lê-se, por exemplo, uma ironia que contrasta com a avaliação mínima atribuída sobre a página do FaceBook interditada: “A Embaixada da Itália em Brasília é 100” . Seguindo-se uma igualmente irônica explicação das razões do protesto: “100 lista no site; 100 convocados; 100 informações sobre o processo; 100 conhecer ninguém que foi convocado; 100 NR e passaporte no prazo devido”. A convocação é para enfileirados e para quem já foi reconhecido cidadão, pois “sofrem constantemente com serviços como Aire, emissão de passaporte, registro de filhos menores, naturalização por casamento etc.”

Um dos organizadores do evento em Brasília, Christian Mantovani, explica que a intenção é entregar um documento contendo reivindicações em mãos do embaixador Antonio Bernardini, “se ele estiver lá para receber”. Os motivos – segundo ele – “São claros: de todas as entidades consulares do Brasil, a Embaixada se destaca negativamente. É a única entidade consular que tem a fila secreta. A comunicação é dificílima, seja por telefone ou e-mail. Pela estrutura que possui, aliada com uma demanda menor que a dos outros consulados nas questões de cidadania, deveria prestar um serviço mais eficiente do que ocorre na prática”.

Mantovani explica que “as colegas Patrícia Marangon e Tacila Mega estão ajudando na mobilização do pessoal, por meio de grupos de cidadania no facebook”. Há, segundo ele, “um número razoável de requerentes que residem no Distrito Federal e Goiás, mas muitos ignoraram os convites feitos, enquanto outros afirmaram estar impossibilitados de comparecer. Seremos um grupo pequeno, certamente. Por outro lado, mostraremos à Embaixada que estamos insatisfeitos com o serviço prestado aos ítalo-brasileiros”.

Por “fila secreta” Mantovani entende “a não divulgação, pela Embaixada, da lista de requerentes que estão aguardando a convocação para apresentar a documentação exigida. Nos demais consulados, essa informação está disponível para os que desejam saber o tempo de espera, seja pelo site ou entrando em contato de outra forma”.

Segundo informações de que ele dispõe, a demora na fila, em Brasília, é de cerca de oito anos. “Sabemos que são cerca de 180 protocolos por ano, isso desde 2012, quando foi ampliada a circunscrição consular da Embaixada. Antes, eram em torno de 50 ao ano”.

Ainda conforme Mantovani, “muitas pessoas que estão fazendo o reconhecimento diretamente na Itália reclamam também da longa espera para o envio da NR, que deveria ser no máximo de 30 dias. Está difícil para quem reconhece a cidadania tanto na Embaixada quanto no exterior e depende dela. Sem contar as reclamações dos demais serviços”.

“Nós queremos dizer para a Embaixada – aduz ainda Mantovani – que eles têm condições de prestar melhores serviços e respeitar o prazo de 730 dias para os requerimentos de cidadania. Falta mais eficiência e transparência nos procedimentos. Há vários relatos nos quais eles perderam os documentos dos requerentes e, além disso, como não há divulgação da lista de convocados, não se sabe quantas pessoas foram convocadas nesse ano e quem são elas”.