Legislativo catarinense faz sessão especial pelos 140 anos de colonização italiana no sul de SC

0
1178
Igreja matriz de Pedras Grandes (foto Wikipedia)

 

Com uma seção especial marcada para quarta-feira próxima (26/04), a partir das 19 horas, o Poder Legislativo de Santa Catarina comemora o 140º aniversário do primeiro assentamento de imigrantes italianos no Sul do Estado – a Colônia Azambuja, no município de Pedras Grandes, 150 quilômetros distante de Florianópolis.

A sessão, convocada pelo presidente, deputado Cleiton Salvaro, acontecerá no plenário da própria Alesc, durante a qual serão prestadas homenagens a cerca de trinta pessoas, entre as quais o embaixador da Itália no Brasil, Antonio Bernardini, e o cônsul geral da Itália em Curitiba, Enrico Mora.

O evento, que se insere num programa mais amplo, incluindo visitas ao local em que chegaram as primeiras famílias de imigrantes em 28 de abril de 1877, foi coordenado pelo Comvesc – Comitê das Associações Venetas de Santa Catarina, sob a presidência de Fabiola Cechinel. A revista Insieme também será homenageada.

Os registros históricos contam que em 21 de novembro de 1876, o então ministro da Agricultura, Comércio e Obras Públicas, Tomás José Coelho de Almeida, designou uma comissão para discriminação e medição das terras públicas existentes no Sul de Santa Catarina. Tal comissão instalou-se no vale do rio Tubarão em janeiro de 1877, onde, na confluência do rio Pedras Grandes com o rio Tubarão, fundou às pressas a Colônia de Azambuja, para onde foram encaminhados os primeiros imigrantes italianos procedentes, em sua maioria, da região do Vêneto – 90 famílias, somando um total de 291 pessoas ao todo, vindos a bordo do navio vapor Rivadavia.

Esses imigrantes vinham atraídos pelas notícias da descoberta das minas de carvão na região de Lauro Müller e da futura construção da Estrada de Ferro Donna Thereza Christina, inaugurada em 1 de setembro de 1884. Com a falência da ferrovia, cuja mão de obra empregada era, em sua maioria, de imigrantes italianos, a estação de Pedras Grandes foi transformada no Museu da Cultura Italiana.

A fundação da Colônia Azambuja é, assim, o marco inicial da colonização italiana no Sul de Santa Catarina. Um ano após a sua fundação, houve a expansão da colonização para outros locais, mas Azambuja continuou a ser o maior e principal centro receptor e distribuidor de imigrantes italianos no sul de Santa Catarina até meados da última década do século XIX. Pedras Grandes foi elevada a distrito em 1888 e a município em 1961, quando se desmembrou de Tubarão.

Além do embaixador Bernardini e do cônsul Mora, serão homenageados na sessão especial da Alesc os seguintes nomes: Fabio Porta, Renata Eitelwein Bueno, Myrian Castelli, Fabiola Cechinel, Joares Ponticelli, Ademir Magagnin, Vadionir Rocha, Júlio Cesar Colombo, Aldo Sergio Sanciro Ghislandi, Zefiro Giassi, Sirege Maria Freitas, Sergio Maccari, Sergio Roberto Maestrelli, Josi Spillere, Desiderio Peron, Nirlan Luiz Bortolotto, Terezinha Possenti, Gilson Antonio Fontanella, Renato Damian, Idemar Ghizzo, Adilcio Cadorin, Eusebio Pasini Tonetto, Pe. Nivaldo Ceron, Pe. Osvaldir Ribeiro Mendes, Hélio Soratto, Fernando Zancan, Juliana Salvador, Edna Felisbino Ghizzo e Juraci Brocca.

Na noite de 27, na Câmara Municipal de Tubarão, a data também será lembrada em sessão solene da Câmara Municipal, segundo informa Fabiola Cechinel. Durante o dia 27, um grupo especial fará visitação aos locais onde chegaram as primeiras famílias de imigrantes italianos no Sul de Santa Catarina.