Missas mensais em italiano retornam em março na Igreja do Portão, em Curitiba

0
569
A completa obra de restauro que está acontecendo na Paróquia do Senhor Bom Jesus do Portão é um exemplo do uso de recursos captados pelo Município através do potencial construtivo para preservar o patrimônio histórico, cultural e arquitetônico da cidade. Curitiba, 12/11/2014 Foto: Luiz Costa/SMCS

Depois de um longo período de interrupção, devido às obras de restauro da igreja, as missas em língua italiana vão recomeçar, a partir de 26 de março próximo, na sede da Paróquia Bom Jesus, do bairro Portão, em Curitiba-PR. Oficiadas pelo padre Giovanni Battista Erittu, natural da Sardegna, Itália, a tradicional missa acontece sempre no último domingo de cada mês, rivalizando com a igreja da Paróquia do bairro de Santa Felicidade nas participações litúrgicas de italianos e descendentes que residem em Curitiba.

A igreja fica na praça Padre João Bagozzi, local vizinho do tradicional colégio do mesmo nome que, durante muitos anos, foi uma das sedes do Centro de Cultura Italiana PR/SC, com a administração de cursos de língua italiana. Tanto a igreja quanto o colégio (também Faculdade Bagozzi) inspiram-se na Congregação dos Oblatos de São José – os “josefinos- marellianos”, segundo explica o leitor José Carlos Rinaldi.

As obras de reforma da Igreja do Portão – um edifício tombado ao patrimônio da cidade – foram iniciadas há pouco mais de dois anos, com recursos captados pelo Município através do chamado “potencial construtivo”, estimados inicialmente em cerca de dois milhões de reais. A igreja havia sofrido um incêndio há cerca de dez anos (em 8 de fevereiro de 2007), e fora reconstruída com recursos maior parte arrecadados pela própria população.

O edifício foi erigido entre 1916 e 1928, no lugar de uma antiga capelinha de barro. É sede da paróquia desde dezembro de 1936 e a edificação é considerada “Unidade de Interesse Especial de Preservação”. Tem arquitetura eclética com inspiração neogótica e vitais de rosáceas. Os estudos e projeto de restauro são do Ippuc – Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba.