Para Mario Borghese, situação dos consulados italianos na América Latina é “dramática”

0
233

Definindo como “dramática” a situação dos consulados italianos que operam no Brasil e na América Latina, o deputado Mario Borghese (Maie – ‘Movimento Associativo Italiani all’Estero’) também participou das manifestações realizadas diante do Consulado Geral da Itália em São Paulo, no dia 12 último.

O parlamentar ítalo argentino referiu-se principalmente aos problemas da chamada “fila da cidadania”, que submetem os que querem ver reconhecida sua nacionalidade italiana por direito de sangue a esperas que podem ir de 10 a 15 ou mais anos, mesmo após a instituição da “taxa da cidadania” – a cobrança de 300 euros, desde 8 de julho de 2014 sobre cada pedido de reconhecimento da cidadania por direito de sangue.

Outro problema grave diz respeito aos cidadãos italianos já reconhecidos que, para obter o passaporte italiano, são submetidos a um sistema informático denominado “prenota on-line”, que tornou-se ‘unanimidade’ nas críticas pela lentidão, mau funcionamento, demora e impessoalidade.

Borghese compareceu ao lado de todos os parlamentares de seu partido eleitos na América do Sul pela Circunscrição Eleitoral do Exterior (ele, mais o colega Ricardo Merlo e o senador Claudio Zin), mais o Senado Fausto Longo (PSI – Partido Socialista Italiano) – o único dos três ‘brasileiros’ a comparecer na Avenida Paulista.

O deputado Mario Borghese saudou a “grande comunidade italiana de São Paulo” e de todo o Brasil que, assim como a de toda a América Latina, “merece serviços consulares melhores”.