Imigração italiana no Brasil é lembrada nos parlamentos dos dois países com promessas de maior intercâmbio

803

Com um curto pronunciamento no momento das intervenções pessoais, já no fim do dia, o deputado ítalo-brasileiro Luis Roberto (Lega) Lorenzato lembrou em Roma que no Brasil “hoje é dia de festa”, enquanto, em Brasília, a Câmara dos Deputados realizava uma sessão especial confirmando os festejos: o Dia Nacional do Imigrante Italiano.

“Somos cerca de 30 milhões”, disse Lorenzato no tempo que lhe foi concedido já quase ao final dos trabalhos parlamentares do dia, observando que os ítalo-brasileiros representam a maior comunidade itálica do mundo, perfeitamente integrada em todos os setores sociais e econômicos do Brasil – desde simples agricultores até empresários e engenheiros aeroespaciais. Lorenzato lembrou que os ítalo-brasileiros produzem alimentos para um bilhão de pessoas no mundo.

“Temos uma plataforma adequada para intercambiar o melhor desenvolvimento possível” – disse Lorenzato, que desde o dia 7 último, por nomeação da Câmara e do Senado italianos, é o presidente da União Interparlamentar Brasíl-Itália.

Em Brasília, a sessão especial foi proposta e presidida pelo deputado Rubens Bueno (PPS-PR), que também reorganizou e preside o Grupo Parlamentar Brasil-Itália junto à Câmara Federal dos Deputados. A ela esteve presente e discursou o embaixador da Itália no Brasil, Antonio Bernardini parta dizer, entre outras coisas, que no Brasil existe uma forte atividade ligando o país à Itália em todas as regiões e que as relações e ligações históricas entre os dois países devem ser, não apenas cultivadas, mas projetadas para o futuro.

Na abertura, Rubens Bueno leu um discurso do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (Dem-RJ), em que este enaltece o trabalho do próprio deputado que tinha ao lado, na mesa de autoridades, a filha Renata Bueno, ex-deputada ítalo-brasileira, que também falou na oportunidade e foi citada diversas vezes pelos oradores.

Um dos primeiros parlamentares a usar a tribuna foi o deputado General Girão (PSL-RN), para lembrar que nesta data celebra-se também uma data histórica da II Guerra Mundial, principalmente para a Itália: a tomada de Monta Castelo pela Força Expedicionária Brasileira. Falaram na sequência outros parlamentares: o General Paternelli (PSL-SP), Carlos Zarattini (PR-SP), Caroline de Toni (PSL-SC), que lembrou ter sido em Santa Catarina, no atual município de São João Batista, onde desembarcou a primeira leva de imigrantes italianos – antes daquela, no Espírito Santo, em que se baseia a lei que instituiu o Dia do Imigrante Italiano.

O deputado do Rio Grande do sul lembrou que nesta sexta-feira será aberta, em Caxias, a Festa da Uva, “uma das festas mais importantes do Brasil” que celebra, igualmente, a imigração italiana.

Falaram também, entre outros, Nelson Pellegrino (PT-BA), Enrico Misagi (PV-SP), Otto (Paternostro) Alencar Filho (PSD-BA), Evair Vieira de Melo ((PP-ES), Júnior Bozzella (PSL-SP), Carmen Zanotto (PPS-SC), Alice Portugal (PCdoB-BA) e Ubiratã Sanderson (PSL-RS). Além de Renata Bueno, entre não parlamentares citados estava o jornalista Gerson Camarotti, da Rede Globo.