Com apoio de embaixador Bernardini, cresce movimento pró consulados italianos em SC e ES; missão irá em breve à Itália

1
1658
O embaixador Antonio Bernardini (e) com Diego Mezzogiorno, na sede da Embaixada da Itália, em Brasília (Foto cedida)

Depois de ter passado boa parte da semana em Brasília, entre as bancadas catarinense e capixaba no Congresso Nacional, Embaixada da Itália e Ministério das Relações Exteriores, Diego Mezzogiorno respirou, na noite de quinta-feira, incomodado com a baixa umidade relativa do ar na cidade, mas aliviado: “Fiz a minha parte, e venci”.

O conselheiro da Câmara Italiana de Comércio de Indústria de Santa Catarina se referia ao encaminhamento do processo que pretende ver instalados Consulados Italianos em seu Estado e no Estado do Espírito Santo – as duas comunidades brasileiras com o maior percentual de ítalo descendentes em sua população mas que depende, respectivamente, do atendimento consular em Curitiba e Rio de Janeiro.

Agora, segundo ele, a conversa sobe para o andar de cima, isto é, será entre os governos dos dois Estados e o Governo Italiano. Um relatório será expedido pelo embaixador Antonio Bernardini à Farnesina (Ministério das Relações Exteriores italiano), contendo toda a movimentação política e sócio econômica, além outros dados necessários à avaliação da situação, já com seu parecer – ao que diz Mezzogiorno – favorável.

“O Embaixador gostou muito, me elogiou e disse que articulei muito bem o movimento político pela criação dos dois consulados italianos”, disse Mezzogiorno ao responder sobre como o embaixador Bernardini está vendo a reivindicação. O diplomata já havia manifestado sua opinião recentemente através das redes sociais.

Ato seguinte, uma comissão especial, formada por parlamentares e representantes dos dois governos estaduais deverá ir à Itália para tratar diretamente da questão na Farnesina. Segundo Mezzogiorno, Os governos catarinense e capixaba farão propostas objetivas ao Governo italiano, oferecendo inclusive espaço físico para o funcionamento das duas unidades consulares pretendidas.

“Minha parte está feita, e posso até cair fora, mas fui convidado a permanecer” no movimento político criado e que inclui nomes de respeito e peso da política brasileira, diz Mezzogiorno. Na Câmara, é vital o apoio da deputada Bruna Furla, presidente da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional, que pediu para incluir [no movimento] também o senador Fernando Collor, presidente da mesma Comissão no Senado Federal.

Mezzogiorno está também articulando a criação de um instituto nacional com características de Fundação nos moldes da “The National Italian American Fundation – Niaf”, com sede em Washington e, segundo ele informa, também conta com o apoio de importantes lideranças políticas e econômicas ítalo brasileiras, além da própria Embaixada da Itália no Brasil.

1 COMENTÁRIO

Comments are closed.