Companhia de teatro amador vem representar a imigração trentina em Santa Catarina

1
4323
Cena de "Viagio di sol andata", da "Filodrammatica San Martino", de Fornace, Trento - Itália. (Foto Divulgação)

Para uma pequena turnê (de 12 a 23/08) nas áreas de Santa Catarina onde se concentra o maior número de descendentes de imigrantes trentinos, chega semana que vem no Brasil o grupo de teatro amador “La Filodrammatica S. Martino”, do município italiano de Fornace (Província de Trento). O grupo traz na bagagem a peça teatral “Viagio di sol andata” (Viagem só de ida), que será apresentada em Rodeio, Blumenau, Rio dos Cedros, Joinville e Jaraguá do Sul, segundo informa o consultor da Província Autônoma do Trento, Elton Stolf.

Inteiramente escrita em dialeto trentino, a peça é de autoria de Dino Caresia e, segundo Stolf, “conta a história de trentinos-tiroleses que deixaram Fornace, no antigo Império Áustro-Húngaro, hoje Itália, com destino ao Brasil e fundaram a cidade de Rodeio–SC”, abordando aspectos como “os incentivos à emigração em ‘far la merica’, a viagem no navio e a chegada no Brasil, novo mundo cheio de floresta, índios e feras – ou seja, nada daquilo que foi anunciado pelas propagandas”.

Na realidade, conforme explica Elton Stolf, a peça “dramatiza a emigração de Antonio Stolf e demais emigrantes de Fornace-TN a Rodeio/SC”. Ele conta já ter visto a peça em três ocasiões e a considerou “realmente muito emocionante”. Explica ainda que o grupo está vindo ao Brasil “após anos de esforços nossos (meus e do grupo) nesse sentido, e estamos muito contentes com a concretização desse sonho, pois desde que vi a peça a primeira vez em 2005 particularmente alimentava a esperança de traze-los ao Brasil para se apresentarem na festa da família Stolf, visto que a peça “Solo andata” conta a história do próprio Antonio”.

A viagem do grupo teatral acontece, conforme conta ainda Stolf, com recursos próprios de cada integrante e com auxílio da PAT (Província Autônoma do Trento) além da ajuda de patrocinadores locais, prefeituras, círculos trentinos, famílias trentinas e famílias de descendentes de imigrantes de Fornace e trentinas, “que irão hospedar os atores em suas casas durante o período das apresentações. A apresentação mais esperada é aquela do 12º encontro da família Stolf, que será realizada no dia 20, em Rodeio/50.

Além das apresentações, está prevista a assinatura de um “Patto di amicizia”, no dia 21, entre as cidades de Rodeio e Fornace, “unidas por aspectos históricos, culturais e graças aos usos, costumes, tradições e identidade étnico linguistica que certamente irá aproximar ainda mais as cidades”. Por isso, em Rodeio, estão previstas duas apresentações, uma na festa dos Stolf e outra na cidade.

No site internet de “La Filodrammatica S. Martino”, os visitantes explicam que “como todas as companhias amadoras do Terentino”, o grupo “é uma realidade que parece ter sempre existida. Nossos bisavôs, avôs e pais dele faziam parte, mas nos anos 70 o pároco de então, padre Corrado Calliari, reuniu um grupo de jovens para fazer simples apresentações no lugarejo. Aqueles rapazes, sob a direção de Lino Roccabruna, começaram pouco a pouco a amar o teatro e a procurar espaços fora do vilarejo. Desde então, o grupo trabalha e faz parte da atual Companhia que realiza espetáculos sempre com a vontade de se divertir e realizar amizades, obtendo elogiosos reconhecimentos exatamente em função da unidade que caracteriza o nosso grupo”.

Uma imagem da “Filodrammatica San Martino”, de Fornace, em 1922. (Foto Divulgação)

No curso de sua história, o grupo apresentou inúmeras peças, entre as quais “El Bruneto Pim Pom Pam” (de Lino Roccabruna), “La not dele streghe (de Silvio Castelli), “El Pero pocio e so fradel gemel” (inspirada em “I due gemelli veneziani” de Carlo Goldoni), “Migole de mondo” (espetáculo cômico musical de Marcello Voltolini), “Re Arturo da Trent” (de Andrea Castelli), “Furberie” (inspirado em “Le furberie di Scapino” de Moliere), “Ma per fortuna è una notte di luna” (em conjunto com a Filodrammatica de Civezzano), “Non sparate sul postino” (de Derek Bonfield traduzida em italiano por Roberto Puliero), “Scondirole e Pipacul” (de Franco Roberto), “L’antenato” (de Carlo Veneziani, adaptado por Camillo Caresia), “Io coccole, tu frottole” (inspirado em “Se devi dire una bugia dilla grossa” de Ray Cooney), “Spiazi de mati a mazi” (de Claudio Salomoni e readaptada ao trentino), “Nar per no tornar: el viagio de sol andata” (de Dino Caresia) e “Liolà” (de Luigi Pirandello, vertida para o dialeto e readaptada por Camillo Caresia).

Integram o grupo de visitantes os seguintes nomes: Dino Caresia e Lorena Lunelli, Remo Caresia e Camillo Caresia (diretor da companhia “Filodrammatica”), Valentina Caresia e Clarissa Caresia, Pierino Caresia (presidente da comunidade de Valle Alta Balsugana e Bernstol Vallle dei Mocheni) e Valerio Caresia, Tiziano Lorenzi e Giacomo Lorenzi, Alessandro Pisetta (presidente da companhia “Filodrammatica”) e Martina Pisetta, Giacomo Girardi e Francesco Caresia, Giorgio Scarpa e Mauro Stenico (prefeito de Fornace) e a família Stefano Stenico e Camilla Scarpa Stenico com os filhos Davide e Anna.

DATAS E LOCAIS DAS APRESENTAÇÕES:

13/08 – Domingo – Joinville, às 19:00h, auditório do Circolo italiano di Joinville
15/08 – Terça-feira – Blumenau, às 19:00h, Teatro Edith Gaertner;
16/08 – Quarta-feira – Rio dos Cedros, às 19:00h,
18/08 – Sexta-feira – Jaraguá do Sul, às 19:00h, auditório da comunidade evangélica luterana Apóstolo Pedro
20/08 – Domingo – Rodeio, 13:30h, Festa da família STOLF;
21/08 – Segunda-feira – Rodeio, às 19:00h, Centro Cultural.

1 COMENTÁRIO

Comments are closed.