“Una rosa per Anita” será evento mundial para a divulgação e valorização de Anita Garibaldi em seu bicentenário de nascimento

158

Uma comissão internacional está sendo formada para organizar um roteiro para o grande evento mundial denominado “Una rosa per Anita” que, ao incluir manifestações em todas as cidades e lugares por onde passou Ana Maria de Jesus Ribeiro – a Anita Garibaldi -, incluirá diversos locais de Santa Catarina, do Rio Grande do Sul e do Uruguai. O bicentenário do nascimento de Anita ocorrerá em 2021.

Segundo Adílcio Cadorin, ex-prefeito de Laguna e autor de diversas obra sobre Anita, as manifestações ocorrerão na América do Sul e na Europa já a partir do correr do ano que vem, quando ocorre o 170º aniversário de morte da inseparável companheira de Giuseppe Garibaldi.

Acompanhado de algumas das “guardiães de Anita” ele esteve conversando sobre o assunto com o embaixador da Itália no Brasil, Antonio Bernardini, em sua última visita a Santa Catarina, em Florianópolis e gravou entrevista para Insieme. O evento mundial tem o respaldo do governo italiano.

Reprodução parcial da capa brochura editada na Itália para o evento “Uma Rosa para Anita”

“Uma rosa para Anita” é iniciativa do Museu e Biblioteca Renzi, de San Giovanni in Galilea (Borghi – FC) e se propõe a divulgar e a valorizar a figura de Ana Maria de Jesus Ribeiro. Anita viveu de 1821 a 1849. O emblema da manifestação é um híbrido de rosa desenvolvido pelo ex-combatente ‘partigiano’ Giulio Pantoli, de Castiglione di Ravenna, que o denominou “Anita Garibaldi” e o doou ao Instituto Técnico Garibaldi-Da Vinci, de Cesena.

O projeto foi assumido por onze municípios italianos (Verucchio, Poggio Torriana, Borghi, Sogliano al Rubicone, Cesenatico, Comacchio, Argenta, Ravenna, Castrocaro Terme e Terra del Sole, Dovadola e Modigliana) e pela República de San Marino, em cujos territórios aconteceu a “Trafila Garibaldina”. As guardiães de Anita, de Laguna, estiveram em agosto último na Itália para participar da “Trafila Garibaldina”.

O evento conta com o apoio da “Associazione Nazionale Veterani e Reduci Garibaldini’, que é presidida por Annita Garibaldi Jallet, uma descendente direta de Anita. Tem também o apoio de diversas instituições públicas italianas, como o Ministério dos Bens Culturais, Museos do “Risorgimento” de Bologna e Ravenna, “Museo della Linea Christa”, de Sogliano; “Musei di Stato”, de San Marino, “Società Conservatrice del Capanno Garibaldi”, “Unione Nazionale degli Ufficiali in Congedo d’Italia”, “Associazione Nazionale dell’Arma di Cavalleria”, “Federazione delle Cooperative” da Província de Ravenna, Auser Emilia Romagna, Ravenna e Ferrara, entre outros.

Os eventos em cada lugar por onde Anita passou, segundo Cadorin, deverão obedecer à ordem cronológica histórica. Para a organização das manifestações há até um livro, mandado imprimir pelo Museu e Biblioteca Renzi. Enquanto isso, prevê-se também a distribuição da rosa “Anita Garibaldi” e os interessados devem ficar atentos para avisos que serão publicados através dos órgãos difusores da cultura garibaldina, além das redes sociais. Há uma estimativa de que cada pe de rosa custará entre 15 a 20 euros. Mais informações podem ser conferidas aqui.