Bisneta de Anita Garibaldi está no Brasil para o preparo das comemorações do bicentenário da heroína. Plantará rosas no RS e em SC

2177

Descendente da Heroína dos Dois Mundos irá cumprir roteiro em cidades por onde o casal Garibaldi passou e participa de eventos referentes ao projeto que comemora o bicentenário de Anita.


 

O Rio Grande do Sul recebe desde sábado, 8, a visita da professora Annita Garibaldi Jallet, que leva o nome de sua bisavó Anita Garibaldi que entrou para a história como a Heroína dos Dois Mundos. A visitante ilustre participará de eventos referentes ao projeto que comemora o bicentenário de nascimento de Anita.

PATROCINANDO A SUA LEITURA

Annita Garibaldi Jallet é filha de Sante e Beatrice Garibaldi. Seu pai, por sua vez, era filho de Ricciotti, quarto e último herdeiro de Giuseppe e Ana Maria de Jesus Ribeiro, e de Harriet Constance Hopcraft. Ela já veio ao Brasil em outras oportunidades.

Sua visita ao Rio Grande do Sul é uma iniciativa do Instituto Cultural Anita Garibaldi (CulturAnita), entidade sediada em Laguna responsável por promover na América do Sul eventos para comemorar o bicentenário da heroína, que foi companheira de Giuseppe Garibaldi, um dos principais nomes da Revolução Farroupilha (1835-1845).

Na programação em solo gaúcho, Annita irá inaugurar um monumento em honra a Garibaldi na cidade de Antônio Prado. A estadia da bisneta da Heroína dos Dois Mundos dura quatro dias.

Após o Rio Grande do Sul, ela cumpre roteiro em cidades catarinenses. Annita plantará a Rosa de Anita (veja abaixo) em Lages, Anita Garibaldi, Curitibanos e Garopaba. Participa do Bingo Cultural das Guardiãs de Anita e vai conhecer os lugares onde sua bisavó passou em Laguna e na capital Florianópolis, terá reuniões e entrevista coletiva na Fundação Catarinense de Cultura (FCC).

Símbolo das comemorações
A Rosa de Anita é o híbrido-símbolo das comemorações foi criado pelo botânico italiano Giulio Pantoli (morto em 2018), que se inspirou na figura de Anita Garibaldi para desenvolver a rosa.

Na Itália, os direitos de reprodução da rosa estão com o Museu Renzi, que franqueou autorização para que o CulturAnita pudesse clonar e distribuir o híbrido no Brasil e na América do Sul.

Os brotos foram trazidos no final de 2018 para o Brasil e adaptadas à realidade climática do país pelo botânico Leonardo Borges, de Laguna. Em agosto, foram iniciados os plantios das primeiras rosas geradas em Imbituba, Laguna e Tubarão.

Sobre o projeto do bicentenário
O projeto prevê a realização de eventos em todas as cidades catarinense, gaúchas, uruguaias, italianas e de San Marino, que têm relação com a trajetória de Anita Garibaldi, a Heroína dos Dois Mundos. Até 2021, a ideia é que sejam realizados eventos comemorando a memória da personagem histórica nascida em 1821.

A iniciativa decorre de um convênio internacional celebrado entre o Museu Renzi, de Borghi (Itália), que é representado por Andrea Antonioli e Gianpaulo Grilli e o Instituto Cultural Anita Garibaldi (CulturAnita) de Laguna (Brasil), representado por Leo Felipe Nunes e Adilcio Cadorin.


Luis Claudio de Abreu é assessor de comunicação social do Instituto Cultural Anita Garibaldi