Comitê faz dez perguntas ao ministro Tremaglia e pede “respostas sérias e verdadeiras”

u CURITIBA – PR – Dez perguntas políticas são endereçadas ao ministro Mirko Tremaglia, dos Italianos no Mundo, em visita ao Brasil neste início de junho pelo denominado “Comitê promotor de A União – Brasil”. A difusão do documento é feita com as iniciais FP, através do e-mail uil@uil.org.br . Após as perguntas, a mensagem observa que “os italianos no exterior esperam respostas sérias e verdadeiras, e não propaganda pré-eleitoral”. Eis o conteúdo do intitulado “VOLANTINO VISITA TREMAGLIA”

PATROCINANDO A SUA LEITURA

 

“A comunidade italiana no Brasil pergunta ao Ministro Tremaglia como pode…

n 1 – Há poucos meses das eleições, nas quais votarão por correspondência também os italianos no exterior, mais de 40% dos nomes constantes dos arquivos do Ministério do Interior não coincidem com aqueles dos registros consulares, impedindo a dezenas de milhares de cidadãos de exercitar os seus direitos políticos?

n 2 – As comunidades italianas na América Latina, historicamente as mais numerosas, nas listas do Aire (Registro Civil) são fortemente penalizadas, tendo como conseqüência uma representação parlamentar mais baixa do que aquela que elas teriam direito?

n 3 – Os serviços consulares pioram continuamente, além da boa vontade ou menos dos funcionários, devido o corte nos recursos enquanto aumentam as cargas de trabalho?

n 4 – Os prazos de espera para o reconhecimento da cidadania italiana são vergonhosos, tanto que o Consulado de Curitiba decidiu suspender o recebimento de pedidos novos depois que os tempos de espera superaram os 21 anos?

n 5 – Foram reduzidos os recursos destinados à assistência direta e indireta (no Brasil, dos cerca de 1.262.570 euros destinados em 2004 para a assistência direta,foram previstos para este ano 1.198.500 euros, um valor muito inferior àquele solicitado pela rede consular)?

n 6 – A maioria que governa o País e o governo Berlusconi não acolheu a proposta do cheque de solidariedade, apresentada pelos parlamentares de centro-esquerda, destinado a ajudar, com 123 euros mensais, as faixas mais pobres dos italianos residentes no exterior?

n 7 – A reforma dos Institutos Italianos de Cultura, que está parada no Parlamento há alguns anos, não vai adiante e são reduzidos os recursos a essas entidades, que demonstram uma sempre maior dificuldade no desenvolvimento de seus deveres na promoção da língua e da cultura italiana?

n 8 – A reforma da lei 153 sobre a difusão da língua e da cultura italiana no exterior, prometida há dezenas de anos e proposta pelo CGIE não virá à luz nem nesta legislatura?

n 9 – Os recursos financeiros destinados ao Ministério das Relações Exteriores, incluídos aqueles relativos aos italianos no exterior, são em percentualmente sempre mais baixos que aqueles de outros países europeus?

n 10 – Os órgãos de controle europeus e internacionais afirmam que a Itália perdeu nos últimos anos 25% de sua competitividade e entrou em recessão, ultrapassando os parâmetros de endividamento estabelecidos a nível europeu, a despeito da grande obra de saneamento realizada no curso dos anos noventa?

 

Os italianos no exterior esperam respostas sérias e verdadeiras, e não propaganda pré-eleitoral.

 

Comitê promotor de A União – Brasil. “


La comunità italiana in Brasile chiede al Ministro Tremaglia come mai…
n 1– A pochi mesi dalle elezioni politiche, nelle quali voteranno per corrispondenza anche gli italiani all’estero, oltre il 40% dei nominativi presenti negli archivi del Ministero degli Interni non coincidono con quelli delle anagrafi consolari, impedendo a decine di migliaia di cittadini di esercitare i loro diritti politici?
2– Le comunità italiane in America Latina, storicamente le più numerose, negli elenchi AIRE risultano fortemente penalizzate, con la conseguenza di vedersi attribuire una rappresentanza parlamentare più bassa di quella che loro toccherebbe?
3– I servizi consolari peggiorano continuamente, al di là della buona volontà o meno degli addetti, a causa del taglio nei finanziamenti a fronte dell’aumento dei carichi di lavoro?
4– I tempi di aspettativa per il riconoscimento della cittadinanza italiana sono vergognosi, tanto che il Consolato di Curitiba ha deciso di sospendere l’agendamento delle pratiche dopo che i tempi di attesa avevano superato i 21 anni?
n 5– Sono stati ridotti i fondi destinati all’assistenza diretta e indiretta (in Brasile a fronte di euro 1.262.570 stanziati nel 2004 per l’assistenza diretta, sono stati previsti per il 2005 euro 1.198.500, una cifra enormemente inferiore a quella richiesta dalla rete consolare)?
n 6– La maggioranza che governa il Paese e il governo Berlusconi non hanno accolto la proposta dell’assegno di solidarietà, avanzata da parlamentari del centrosinistra, destinata ad aiutare, con 123 euro mensili, le fascie piu’ povere degli italiani residenti all’estero?
n 7– La riforma degli Istituti Italiani di Cultura, che giace in Parlamento da alcuni anni, non fa passi in avanti e si riducono i finanziamenti a questi enti, che dimostrano un sempre maggiore fatica nell’assolvere ai loro compiti di promozione della lingua e cultura italiana?
n 8– La riforma della legge 153 sulla diffusione della lingua e cultura italiana all’estero, promessa da decenni e proposta con un apposito articolato di legge dal CGIE non vedrà la luce nemmeno in questa legislatura?
n 9– Le risorse finanziarie assegnate al Ministero degli Esteri, comprese quelle riguardanti gli italiani all’estero, sono in percentuale sempre le più basse rispetto a quelle degli altri paesi europei?
n 10– Gli organismi di controllo europei e internazionali affermano che l’Italia ha perduto negli ultimi anni il 25% della sua competitività ed è entrata in recessione, sfondando i parametri di indebitamento stabiliti a livello europeo, nonostante la forte opera di risanamento realizzata nel corso degli anni Novanta?
Gli italiani all’estero aspettano risposte serie e veritiere e non propaganda pre-elettorale.
COMITATO PROMOTORE DE L’UNIONE. BRASILE.”