Festitália de Blumenau-SC vai até domingo próximo e inclui a premiação do I Giro Integração Brasil-Itália de ciclismo

448

Uma Lambretta vermelha, ano 1968, ocupa lugar de destaque dentro do pavilhão principal da Vila Germânica, em Blumenau-SC, onde foi instalada, sexta-feira (12/07), pela 26ª vez, a Festitália. Bem cuidada e luzidia, ela está ao lado de outra  relíquia do imigrante já falecido Valentino Panini – um bandoneon. A Lambretta (lembrando: o primeiro veículo nacional a ser produzido em série no Brasil), de origem italiana, e o bandoneon, de nascimento alemão, podem representar a síntese de um evento que, em terras preponderantemente germânicas, obteve sucesso e se consolidou como – assim diz a propaganda – a maior festa com sotaque italiano de Santa Catarina.

Sempre aberta a golpe de sabre (a sabrage é operada por um dos proprietários da Cantina San Michele, de Rodeio, um município próximo), a Festitália este ano, na parte cultural reservada ao Lira-Círculo Italiano, promotor do evento, dá destaque à religiosidade do imigrante italiano, suas igrejas, seus ritos e suas roupas.

Lambretta e bandoneon na Festitália. (Fotograma /Revista Insieme)

A exposição fotográfica, em centenas de imagens, fotos e reproduções colhidas em toda a região de Blumenau e vizinhança, trouxe à festa a evocação profunda de almas, personagens, hábitos e costumes que formaram as ativas comunidades de hoje. De resto, música, dança e uma cuidadosa cozinha para todos os gostos – do tradicional x-polenta a requintadas mesas de frios e pratos elaborados – elevam com dignidade o argumento tricolor para um público estimado em cerca de 30 mil pessoas dentro do território da maior Oktoberfest brasileira, este ano de novo sob o comando do presidente Fred Duerk Wachholz.

Segundo ele, a festa consegue dar lucro, sim, mas o principal esteio no sustento do Círculo continua sendo o curso de italiano, organizado e mantido “sem a ajuda de ninguém”.

No domingo, ciclistas vencedores do Giro Integração Brasil/Italia serão premiados durante a festa, depois de terem percorrido quase 90 quilômetros nos dois trechos da competição promovida pela Federação Catarinense de Ciclismo, Associação Blumenauense Pró-Ciclovias, Associação Sapo Verde de Ciclismo e “Famiglie Trentine”.

A largada será sábado em Doutor Pedrinho, no início da tarde e os ciclistas percorrerão caminhos nos municípios de grande presença de imigrantes italianos como Benedito Novo, Rio dos Cedros, Timbó, Indaial e, finalmente Blumenau. Na primeira etapa da prova, os participantes percorrerão 47 quilômetros; pernoitarão em Timbó e, no segundo dia, mais 42 quilômetros. Inscrições ainda podem ser feitas aqui