u CURITIBA – PR – Ao contrário do que a assessoria do Senador Edoardo Pollastri divulgou insistentemente desde a noite do dia 02.04.2008, a greve dos correios não terminou até o momento. Tanto em São Paulo quanto em Curitiba, na manhã de hoje, agentes dos correios informavam que a greve continuava. No início da tarde, difundiu-se a notícia de que os carteiros do Paraná permaneciam em greve.

PATROCINANDO SUA LEITURA

O movimento paredista dos correios iniciado dia primeiro de abril pegou de surpresa todo o processo eleitoral da Circunscrição Eleitoral do Exterior italiana no Brasil, onde os cidadãos estão votando por correspondência para a renovação do Parlamento e escolha do novo presidente do Conselho de Ministros do governo italiano.

A greve passou a ser a principal preocupação dos candidatos em campanha, que temem pela perda de numerosa votação, principalmente em áreas do interior onde o problema seguramente é maior.

A greve golpeou exatamente o serviço de retorno dos envelopes pré-selados que haviam sido enviados dias antes através do sistema de Sedex. Segundo pensamento da maioria dos candidatos ítalo-brasileiros, a situação torna ainda mais desigual a competição frente à comunidade ítalo-argentina que, embora tenha menos da metade do contingente ítalo-descendente existente no Brasil, possui quase o dobro de eleitores.

A tese da prorrogação do prazo de recebimento dos envelopes pelos consulados (16 horas do dia 10.04.2008) é defendida por quase todos os candidatos ouvidos, aos quais foram submetidas duas perguntas:

 

n  Na sua opinião, que estragos pode causar aos candidatos brasileiros nesta eleição a greve dos Correios?


ADRIANO BONASPETTI E STEFANO ANDRINI
Ovviamente lo sciopero causerá una notevole perdita di voti a tutti i candidati brasiliani, avvantaggiando ancora di piú i candidati argentini, giá facilitati dai numeri degli elettori.

 

PIERO STEFANON RUZZENENTI – Sem duvida vai causar estrago, a sorte é que a greve atinge sobretudo os carteiros, o resto dos Correios esta mais ou menos funcionando

 

WALTER ANTONIO PETRUZZIELLO La posta brasiliana è indetto un sciopero  generale dei postini che è iniziata alla mezza notte del 01 aprile. Centinaia di telefonate sono arrivate nei miei uffici manifestando grossa preoccupazione sull’arrivo delle buste agli elettori e principalmente il ritorno delle buste ai Consolati. L’informazione avuta è che un’eventuale  fine del sciopero o con “un possibile sciopero bianco” i servizi verranno rallentati.  La comunità italo-brasiliana è estremamente  preoccupata con la possibilità  che i voti non arrivino  nei Consolati in tempo utile  e che migliaia di voti non siano conteggiati. Sembra che a oggi soltanto circa  10% dei voti siano stati restituiti ai Consolati in Brasile..

 

CLAUDIO PIERONISem duvida, a greve os correios é terrível para os candidatos do Brasil. Infelizmente, tivemos uma divulgação muito fraca, agora temos o problema dos votos não chegarem de volta ao Consulado, irem perdidos. Além disto, nesta fase dever-se-ia se estar tentando recuperar aqueles que estão na ‘anagrafe consolare’ (registro oficial) mas não no elenco eleitoral, mas mesmo que se consiga como fazer chegar o voto a estes que querem “recuperar ” o voto, praticamente é impossível. Portanto, a situação dos brasileiros é dificílima. Somos menos votantes e agora atingidos por este problema.

 

LUIS MOLOSSI  Se a situação já estava difícil em termos de falta de informações dos eleitores, desinteresse, problemas com endereços e cadastro no Consulado, ficou terrivelmente complicada com os valorosos eleitores que decidiram votar pois correm o risco de verem seus votos dormindo nas caixas de coleta pois há indicação que nas agências não haveria problema. O que dizer? Mais uma vez ficamos em desvantagem com os demais países. Sinceramente, espero que este movimento se encerre ainda hoje para que não comprometa o resultado final das eleições. 

 

n Que opinião tem sobre a aventada prorrogação de prazo proporcional aos dias de greve?

 

ADRIANO BONASPETTI E STEFANO ANDRINI – Certamente la proroga aiuta un pó, ma comunque é certo che in realtá non esiste una proporzionalitá tra i giorni di sciopero ed i giorni di proroga, anche perché la quantitá di posta da smaltire (solo nel rio grande del sud c´é un accumulo di 2.500.000 di lettere non consegnate) é enorme e ci vorranno sicuramente piú di 10/15 giorni per recuperare.

 

PIERO STEFANON RUZZENENTI – Pelo que me consta, os prazos para a votação, previstos na Constituição Italiana, vencem dia 16 de Abril. Tem pouco a fazer

 

WALTER ANTONIO PETRUZZIELLO A nome degli elettori italo-brasiliani faccio un appello al Governo italiano che venga prorogato i termini della consegna delle buste  in Brasile o per parità dei diritti in tutta la Circoscrizione  estero.

È giusto ricordare che i candidati sono già penalizzate in partenza perché mentre in Italia la votazione accade il 13 e 14 aprile all’estero  si chiude il 10 aprile ossia con 4 giorni di anticipo.

Caso nessun provvedimento venga  preso dal Governo Italiano i candidati del Brasile saranno danneggiati ed il risultato dell’elezione nella Circoscrizione America Meridionale  potrebbe essere compromesso e moralmente falsato. Con la parola,  le nostre autorità.

 

CLAUDIO PIERONI Sem duvida seria favorável a uma prorrogação do prazo. Mesmo achando impossível que as autoridades italianas concordem, eu apoio esta corrente. Não é possível que, mais uma vez, a comunidade italiana do Brasil e ítalo-brasileira sejam prejudicadas, como em tantas outras, como  o atraso absurdo no reconhecimento da cidadania (e com isto ficamos para trás em termos de votantes); a questão da assistência médica (estamos trás da Argentina, esta com 8000 idosos com plano de saúde pago pela Itália e nós?); e muitos outros assuntos. Chega de ficarmos em segundo plano. É por isto que lutamos por mudanças na forma de lutar pelas nossas causas: sem pressões partidárias, uma política independente voltada para a nossa comunidade do Brasil.

  

LUIS MOLOSSI  Neste momento, seria a decisão mais acertada, pois temos alguns dias de prazo em relação às eleições na Itália. Uma medida que sugerimos de imediato é que se aguarde a chegada dos votos do exterior para a finalização das apurações em Roma. Assim, caso a greve termine logo, não haveria muito prejuízo aos candidatos brasileiros.