u SÃO PAULO-SP – O ICE-Instituto Italiano para o Comércio Exterior intensifica suas ações no Brasil, através de manifestações culturais e empresariais que acontecem na cidade de São Paulo, neste primeiro semestre, com foco prioritário nas áreas de arquitetura e design, têxtil e agro-alimentar, dentro do seu Programa Extraordinário “Made in Italy”.

PATROCINANDO SUA LEITURA

 

Campanha

 

O mestre Leonardo da Vinci é o protagonista de uma campanha de imagem realizada no Brasil pelo ICE-Instituto Italiano para o Comércio Exterior, junto ao Ministério do Comércio Internacional, dentro do Programa Extraordinário “Made in Italy”, para reforçar a imagem da Itália como um tradicional centro de produção e exportação de tecnologia e através do slogan Itália: onde arte, design e tecnologia fazem história, passar ao grande público a variada e vasta contribuição dada pela Itália às artes e às ciências em âmbito mundial.

Uma série de eventos, envolvendo o artista, acontece simultaneamente em São Paulo, no Museu da Casa Brasileira:

Entrega do Prêmio Especial Leonardo, honraria atribuída anualmente, pelo governo da Itália, a uma personalidade de destaque na promoção do “Made in Italy”, pela primeira vez concedida a um brasileiro (o empresário e ex–ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan), por seu trabalho como incentivador das relações entre os dois países, no dia 22 de abril.

Apresentação de grifes italianas presentes no país; dia 22 de abril

Mostra: “Os Segredos dos Códigos de Leonardo da Vinci”, que chega pela primeira vez à América do Sul, sobre o Código Atlântico e Código do Vôo, em São Paulo, de 15 de abril a 04 de maio.

 

Conceito

 

A contribuição dada pela Itália às artes e às ciências em âmbito mundial é vasta e variada. Quantos pintores, designers, músicos, escultores ou literatos italianos e que marcaram seu nome na história? O próprio idioma italiano está presente nas diversas línguas faladas, sobretudo em vocábulos que refletem a fama da Itália moderna em termos de gastronomia, enologia, estilo de vida, moda e design.

O padrão de vida  italiano é baseado numa tecnologia de ponta, referência em inúmeros setores e que conta com ícones que influenciaram o destino do mundo, como por exemplo Guglielmo Marconi, inventor do telégrafo, Giulio Natta, considerado um dos pais da química industrial, Alessandro Volta, inventor da pilha, Enrico Fermi, estudioso do mundo subatômico, Galileu Galilei, que revolucionou o conceito de astronomia e tantos outros.

Nomes famosos, às vezes condecorados com grandes honrarias, e outros pouco conhecidos, mas que deram e continuam dando grande contribuição ao crescimento da humanidade. Há outros, ainda, cuja produção científica foi tão magnífica que acabaram tornando-se sinônimos de genialidade, como é o caso do Mestre Leonardo da Vinci.

O mais famoso filho de Vinci é sem dúvida uma síntese do italiano de todas as épocas, espírito vanguardista capaz de cativar pela personalidade, mas também de convencer pela argumentação de suas ponderações em todos os campos das ciências e das artes, desenvolvidas não raro sob condições adversas e  desafiadoras.

 

Dados econômicos da Itália

 

A indústria italiana é composta principalmente por pequenas e médias empresas, em sua grande parte concentradas em pólos, ou distritos industriais, onde as palavras de ordem são o intercâmbio de informações e a especialização de tarefas. Com isso, uma realidade industrial que tinha tudo para ser acanhada, aliando cooperativismo à criatividade e know-how de seus empresários e ao elevado nível de customização de seus produtos, acaba por ser um dos principais parques produtores e exportadores de tecnologia.

 

A Itália é o  maior fabricante de helicópteros do mundo e maior fabricante europeu de aviões para treinamentos. No campo automobilístico, bastaria citar nomes como Ferrari, Lamborghini, Maserati e Alfa Romeo para sinalizar a importância dos italianos. Todavia, é válido acrescentar que mais de 100 milhões de automóveis já foram fabricados em todo o mundo com design e tecnologia desenvolvidos na Itália.

 

O país possui o quarto maior volume de investimentos em P&D entre os países europeus (15 bilhões de euros). Apresenta também o quarto maior número de registros de patentes da Europa e o maior crescimento anual do número de publicações de artigos científicos: 7% contra 5,7% dos Estados Unidos e 5,6% da Alemanha.

 

Na área de bens de capital, a produção italiana (23,5 bilhões de euros) ocupa a quarta posição mundial e segunda maior da Europa. Quase 10% de toda a produção mundial de máquinas de todos os tipos é desenvolvida na Itália que, ao exportar mais de 70% de tudo o que fabrica, também ocupa a posição de terceira maior exportadora.

 

Valendo 69 bilhões de euros, o mercado italiano de produtos de tecnologia da informação e comunicação é o quarto maior da Europa. O mercado de redes sem fio, em particular, está entre os mais avançados do mundo, com mais de 70 milhões de cartões SIM ativados.

 

É também destaque o mercado italiano de celulares de 3ª geração, que possui a maior taxa de crescimento da Europa. A Itália tem uma longa tradição na produção e pesquisa no campo das ciências biomédicas. Ocupa atualmente a terceira posição na Europa em termos de faturamento (15 bilhões de euros) e mão-de-obra (mais de 85.000 profissionais da área). Além disso, demonstra um forte comprometimento com a inovação, por meio de investimentos anuais em P&D superiores a um bilhão de euros, sobretudo em campos ligados à biotecnologia e à saúde.

No universo da nanotecnologia, os italianos também marcam importante presença: 1.200 pessoas atuando na área e 70 milhões de euros investidos anualmente em em P&D. São particularmente relevantes às descobertas que envolvem nanoeletrônica e biotecnologia.

 

 

ICE – Instituto Italiano para o Comércio Exterior

 

Fundado em 1926, o ICE (Instituto Italiano para o Comércio Exterior) passou por diversas modificações ao longo de seus mais de 80 anos de história e hoje pode ser considerado um verdadeiro embaixador do Made in Italy, sendo responsável pela promoção do intercâmbio comercial e tecnológico entre a Itália e os demais países do mundo – sobretudo o que tange às empresas de pequeno e médio porte e seus consórcios de exportação.

 

Sediado em Roma, o ICE possui 20 escritórios na Itália e outros 142 espalhados em 84 países. Suas atividades são financiadas por meio de recursos provenientes do Ministério Italiano do Comércio Internacional e, em menor grau, pelas empresas italianas que utilizam seus serviços promocionais e de consultoria.

 

Por meio de sua rede de escritórios, garante apoio abrangente às empresas italianas que desejam atuar no mercado global, fornecendo informações de caráter econômico, legal e técnico, bem como desenvolvendo estudos setoriais e análises personalizadas da concorrência e de viabilidade de mercado, auxiliando-as no fechamento de contratos de venda, no estabelecimento de joint-ventures, na concessão de licenças e na instituição das demais formas de cooperação.

 

O ICE intensifica as oportunidades de negócios, reforça a imagem da marca Made in Italy e promove a cooperação industrial e o investimento de capital estrangeiro na Itália, através da realização de Pavilhões Oficiais Italianos em exposições internacionais, de missões comerciais de empresários e jornalistas estrangeiros à Itália, bem como de italianos ao exterior, de cursos e convenções, de campanhas publicitárias e de outras iniciativas de seu Programa Promocional. Através de acordos firmados com os governos das diversas Regiões Italianas, facilita o processo de internacionalização do setor do artesanato, das pequenas e médias empresas e de outros setores específicos.