”Não é pedir muito”

973

Instado a se pronunciar sobre a anunciada transferência do atual Cônsul Geral da Itália em Curitiba, o presidente do Comites – ‘Comitato degli italiani all’Estero’ para o Paraná e Santa Catarina, advogado Luis Molossi, faz um relato de suas atividades desde que assumiu. Agora o substituto precisa ser escolhido “com muita cautela”.


 

Assumi a Presidência do Comites PR/SC em 30/11/2019 e, descontados, final de ano, férias de verão, Carnaval e agora, a Pandemia do Coronavírus/Covid-19 – que nos isola há pouco mais de um mês – temos 5 meses corridos, mas nem a metade disso de atividades. E, uma longa e desgastante relação entre o “Cônsul x Comunidade Italiana x Comites” e, até a imprensa, neste caso, a Revista Insieme para administrar.

PATROCINANDO A SUA LEITURA

A respeito dos 34 motivos para eventual remoção do cargo do Sr. Cônsul, na assembleia de 30/11 deliberou-se pelo necessário diálogo, o que foi feito em 05/12/2019. E essa foi a decisão da assembleia, não somente minha. Como isso foi novamente questionado, decidi que os conselheiros deveriam se manifestar novamente, para não haver dúvidas. O resultado, ainda em dezembro/2019, foram 10 votos em 16 contra a proposta/não apoiando/indicando diálogo. O meu voto somente seria necessário em caso de empate. Aliás, o presidente representa o ente, fala em nome de todos e deve zelar pela condução respeitosa e legal de todos os assuntos, devendo cumprir as decisões da maioria como em qualquer democracia.

Passado o período de festas, férias, sol e mar, veio a polêmica da aplicação do novo Vademecum sobre a cidadania, que trouxe mais exigências burocráticas das já existentes e a demora do Consulado de Curitiba em suspender a sua aplicação. Mais uma vez, com intervenções junto à Embaixada Italiana e ao Subsecretário Merlo, houve o cancelamento das novas exigências, com a volta da paz, como bem noticiado pela Insieme, em 03/03/2020. Não passaram 2 semanas e veio a Pandemia da Covid-19 e, em 17 de março, publicamos, em conjunto com o consulado, as medidas necessárias para a continuidade dos serviços consulares, em regime de urgência apenas, sem comprometer a saúde do público e dos empregados do mesmo. Naturalmente que as demandas pelos serviços baixaram, porque a vida e a dinâmica dos movimentos de todos foram atingidos.

Diante do isolamento e da necessidade de reunir novamente o Comites PR/SC, logramos fazer uma videoconferência, no dia 21/04/2020, com 14 dos 16 membros presentes, um record histórico, além da presença da representante consular e do jornalista Desiderio Peron. Nela todos pudemos falar, expor opiniões sobre os assuntos mais variados, superando entraves ainda pendentes, o que teve a duração de 3 horas, com momentos de alta emoção.

Passados 5 dias, na data de ontem, 26/04, veio a público a novidade, chamada “remoção” do Cônsul Raffaele Festa e a natural repercussão que a novidade trouxe ao meio, com 2 artigos já publicados a respeito. Recebendo com surpresa e alívio a notícia, me permiti fazer o que o cargo exige: ouvir e cobrar da parte que representa o governo italiano no nosso consulado sobre o assunto, o que fiz na data de hoje (27/04), por e-mail e, mais tarde ao telefone.

A resposta do Sr. Cônsul Raffaele Festa foi a “de que qualquer membro da Diplomacia Italiana, depois de cumprir 3 anos no exterior, pode requerer o retorno à Itália e/ou Europa, antes de completar o 4° ano, seguindo uma ´lista orgânica de movimento´.  Esta lista é atualizada 2 vezes por ano, onde constam 60 diplomatas que o podem fazer e estas informações estão sempre disponíveis aos interessados, internamente no ministério.”

Com esta situação já definida, Raffaele Festa só dependeria de ter condições logísticas, em razão da Pandemia, de retornar à Europa, onde, segundo o mesmo, ficaria mais perto dos familiares porque, provavelmente, atuaria em Strasburgo-França, junto ao Conselho Europeu, em funções que não discutimos, naturalmente.

Não obstante as informações sobre as decisões tomadas, evidente que temos a polêmica que se estabeleceu no nosso meio sobre a relação Cônsul-Comunidade-Comites-Imprensa – e é de conhecimento de todos que acompanham o assunto há anos – as cobranças de providências que foram feitas, umas mais exaltadas e outras mais estratégicas, não faltando, agora, a natural  cobrança de méritos sobre o assunto, como já estamos vendo. Se foram estas as verdadeiras razões que influenciaram as decisões do Cônsul, ele nos as disse, mas é inegável que ajudaram. E se é por isso, todos podem e devem se considerar vencedores.

O fato é que ontem mesmo (26/04), tive conversa com o Subsecretário, Senador Merlo, pois é ele o responsável pela rede consular no exterior, a respeito da próxima etapa, ainda neste ano de 2020. E já estabelecemos que o substituto deverá ser escolhido com muita cautela, para que tenha, além das aptidões técnicas e competência, que não faltam ao Cônsul Festa – e os números o confirmam – um elemento muito maior de identificação com a nossa Comunidade Italiana local, como tanto cobrado e exigido neste momento. E com toda a razão.

Isto porque, se o Cônsul Festa por aqui passa e se vai, a nossa vida segue, a Comunidade Italiana continuará a exigir serviços consulares dignos, respeito no trato quando precisar do consulado, interlocução política e institucional de alto nível com o Comites PR/SC e diálogo com a imprensa. Não é pedir muito!      

Atenciosamente, Avv. Luis Molossi, Presidente COMITES PR/SC