Nova lei da Editoria: “O CGIE levantará barricadas”, diz Schiavone sobre os cortes na contribuição à imprensa italiana no exterior

276
Un'immagine della assemblea del CGIE in data di oggi. (Foto Claudio Piacentini / Rivista Insieme)

Dentre as diversas conferências do CGIE – Conselho Geral dos Italianos no Exterior que foram realizadas durante a Assembleia Plenária realizada nas dependências do Ministério das Relações Exteriores e da Cooperação Internacional, em Roma, a tarde de hoje (15/11/2018) foi dedicada à informação italiana no exterior.

Foram tratados diversos aspectos: a nova lei sobre a editoria, a mídia italiana no exterior como instrumento de promoção da língua e do ‘Made in Italy’, informação online e suas potencialidades, riscos e mudanças sobre a profissão dos jornalistas, e serviço público da Rai – Radio e Televisão Italiana.

Para abordar o primeiro ponto esteve presente o subsecretário da Presidência do Conselho com delegação para a Editoria, o senador Vito Crimi que, depois de ter apresentado sua análise, tanto os conselheiros quanto os representantes dos diversos veículos de imprensa italiana no exterior presentes manifestaram sérias preocupações do setor com os novos e pouco claras mudanças que o governo está colocando em prática no setor e a clara sensação de ostracismo, aversão e falta de um claro conhecimento do fenômeno “italianos no exterior” por parte do executivo, um fato que poderá levar o sistema ao colapso.

O CGIE manifestou-se disposto a realizar tudo quanto estiver a seu alcance para apoiar a imprensa italiana no exterior. “O CGIE levantará barricadas” disse o secretário geral Michele Schiavone.

• Tradução de Desiderio Peron