’Palazzo Garibaldi’, no centro histórico de Curitiba, será ampliado. O próprio prefeito da cidade anuncia a aprovação há muito reivindicada

420

A obra autorizada terá cerca de dois mil metros quadrados distribuídos em modernas cozinhas, três salões, além de um terraço com um “charmoso belvedere”


 

O ‘Palazzo Garibaldi’, sede da Sociedade Giuseppe Garibaldi – obra coletiva dos imigrantes italianos chegados a Curitiba no final do século XIX –  vai ser ampliado através da construção de um anexo contendo cerca de dois mil metros quadrados de área. A informação, aguardada há muito tempo, foi dada pelo prefeito Rafael Greca de Macedo em seu perfil no Facebook esta manhã.

PATROCINANDO A SUA LEITURA

“A Comissão de Avaliação do Patrimônio Histórico e Cultural de Curitiba aprovou e estou autorizando a construção de anexo ao nosso Palácio Garibaldi (1887), obra do saudoso mestre arquiteto italiano Ernesto Guaíta (Turim 1843 – Curitiba 1915”, escreveu o prefeito que é, também, de origem italiana pelo lado materno.

“O novo anexo com modernas cozinhas e três salões terá dois mil metros quadrados e um charmoso terraço Belvedere sobre o Centro Histórico de Curitiba desde o Alto de São Francisco. Agradeço ao arquiteto Paulo Ritter e à governadora emérita Cida Borgetti a feliz ideia. #VivaItalia #VivaCuritiba” completou o prefeito.

A ex-governadora Cida Borghetti, e presidente da Garibaldi, em foto de 2009 (Foto Desiderio Peron / Arquivo Revista Insieme)

A informação confirma comunicado que  a conselheira Cida Borghetti fez durante a última assembléia do Comites – ‘Comitato degli Italiani all’Estero’ para o Paraná e Santa Catarina, na última terça-feira, reunido virtualmente. O projeto do anexo é antiga reivindicação de sucessivas diretorias da entidade, mas tomou corpo com a posse da ex-governadora em sua presidência, em junho do ano passado. A construção do anexo é uma ideia surgida ainda na década de 80, sob a presidência do empresário Wladimir Trombini, logo que o antigo “Palazzo” foi completamente restaurado, também com a participação de Greca.

Para Rubens Gennaro, um dos cinco integrantes do Conselho Deliberativo da Garibaldi (arquivo de voz) ao fazer um histórico da luta pela conquista que culminou com o trabalho conjunto de Cida Borghetti, Benoni Constante Manfrin e Rafael Greca, o projeto do anexo “soma com a Garibaldi, soma também com o centro histórico de Curitiba”.

A Sociedade Garibaldi foi fundada em junho de 1883 como uma entidade de mútuo socorro aos imigrantes italianos (“Società di Beneficenza fra gli Italiani Dimoranti nel Paraná”) , mas as obras da sede começaram em 1887 sobre terreno doado pelo governo municipal e foram concluídas em 1904. O edifício foi projetado por Ernesto Guaita, então cônsul honorário da Itália em Curitiba, mas sua fachada, em estilo neo-clássico, responde a projeto do arquiteto João de Mio, tendo sido finalizada em 1932.

Em 1942, em função da II Guerra Mundial, o palácio foi desapropriado pelo Governo do Estado, passando a sediar, sucessivamente, a Liga de Defesa Nacional, o Centro de Letras do Paraná, a Academia Paranaense de Letras, o Tribunal Regional Eleitoral e, finalmente, o Tribunal de Justiça do Estado. Somente foi devolvida à comunidade italiana em 1962, após decisão judicial. O palácio que em seus primórdios sediou a representação consular, foi tombado ao Patrimônio Estadual em 1988 e integra a lista de Unidades de Interesse de Preservação da Prefeitura Municipal de Curitiba.

O “Palazzo Garibaldi” foi obra executada pelos primeiros imigrantes italianos em Curitiba. (Foto Desiderio Peron / Arquivo Revista Insieme)