Petruzziello diz que agiu em nome pessoal, só queria ajudar e pede desculpas. Verdadeiro problema está na estrutura consular. “Vamos continuar lutando”, assegura

846

“Não há nenhum acordo entre o Comites – ‘Comitato degli Italiani all’Estero’ para os Estados do Paraná e Santa Catarina e qualquer empresa de agendamento de qualquer natureza”, repetiu hoje o presidente do órgão, advogado Walter Petruzzielo, procurado pela redação de Insieme para mais esclarecimentos sobre matéria postada ontem e que alcançou grande repercussão nas redes sociais. Petruzziello reconfirmou que houve contato seu com a empresa ‘Prenota4u’ para o agendamento de passaportes italianos, mas explicou que o fez em nome pessoal e para ajudar pessoas.

“O que houve – disse o advogado – foi um contato que eu fiz, sim, sem nenhum medo de dizer, fiz um contato com aquelas empresas que ofereciam estes serviços e que me deram a possibilidade de fazer um preço muito melhor do que aquele cobrado por outras empresas. E por que eu fiz esse contato? Porque todos nós sabemos que a questão do agendamento do passaporte é um gargalo sem fim. É um problema que não estamos conseguindo resolver”.

Conforme Insieme noticiou ontem, atendentes do ‘Prenota4u’ confirmaram, através de e-mail, existir “desconto para quem é indicado pela Comites PR/SC. Conseguimos fazer pelo valor de R$ 299,00”, acrescentando não ser necessário exibir nenhum documento sobre a indicação e deixando claro que “o desconto é para o nosso serviço e não para as taxas consulares. Elas somam 497 reais e são pagas diretamente ao consulado, okay?”. Petruzziello disse que o pessoal site deve ter usado o nome do Comites “porque sabem que eu sou do Comites”.

Informação sobre desconto para “quem é indicado pela (sic) Comites PR/SC” é do próprio Prenota4u. (Reprodução)

No vídeo em que explica sua iniciativa, Petruzziello disse saber que as pessoas que “me julgaram, que publicaram dezenas de palavras que não me afetam, porque não tenho nada na consciência que me responsabilize, me julgaram porque já sou pré-julgado. Muitas dessas pessoas já gratuitamente não gostam de mim por algum motivo”. Segundo ele, “as pessoas publicaram como se eu tivesse ganhando dinheiro, como se fosse uma vergonha, como se fossem atos completamente ilegais… chegaram ao ponto de falarem em fazer denúncia contra mim. Se eu cometi algum erro dessa natureza, façam uma denúncia: o meu Comites, os meus conselheiros terão oportunidade de me julgarem, podem pedir a minha destituição. Então, peço a vocês desculpas se causei algum transtorno. Não era intenção fazer propaganda, era simplesmente ajudar as pessoas que me procuraram”.

No final do vídeo, Petruzziello diz que o problema não está na empresa que presta serviço, nem no Comites: “O problema – afirma – está na estrutura consular; o problema está no ‘prenota online’ e na sua concepção”, então, “como sempre fizemos, continuaremos lutando para que os problemas sejam resolvidos dentro [dos consulados]”. Assegura também que existem “boas novidades” a serem anunciadas nos próximos dias.

Assim que a matéria foi publicada, no final da tarde de ontem, começaram a surgir as primeiras reações contra e a favor de Petruzziello. “Com todo o respeito ao amigo e presidente do Comites, Walter Petruzziello – escreveu o conselheiro do Comites e coordenador do Maie – Movimento Associativo Italiani all’Estero’ no Brasil, advogado Luis Molossi – , não tem como separar uma declaração da pessoa daquela que seria relativa ao seu cargo. Não poder combater uma prática imoral, por mais legal que ela seja, não quer dizer que devemos nos juntar aos que a praticam”.

Molossi, disse também não entender “como uma pessoa experiente e preparada como ele possa afirmar isso e concordar. O mesmo ocorre com a agora Governadora [Cida Borghetti – NR] e membro do Comites, que todos sabemos serem cargos incompatíveis e ele quer manter as aparências e até marcou a próxima reunião do Comites de no Palácio do Governo do Estado apenas para mostrar uma importância que não temos”.

Prefiro, escreveu ainda Molossi, “continuar minha luta em exigir mudanças nas práticas consulares que são reconhecidamente danosas à nossa comunidade, cobrando do governo italiano soluções e melhoras que estão sendo tratadas pelo novo governo”.

Já o ex-presidente do Comites do Recife, Salvador Scalia, sentenciou: “Eu acho esse envolvimento do Comites o fim da picada. Não sou contra nem condeno bons prestadores de serviço. As dificuldades criadas pela rede consular criam mercado para agendadores, assessores para cidadania na Itália, advogados para processos contra a ilegalidade da fila de 10 anos, mas um Comites se envolver ou indicar profissionais é realmente o fim da picada”.

Silvia Alciati, de Belo Horizonte, uma conselheira do Brasil no CGIE – ‘Consiglio Generale degli Italiani all’Estero’ declarou-se “sem palavras”: “Não consigo nem acreditar!!! – acrescentou – o mundo é dos espertos mesmo, ne?!!!”, ao que Petruzziello retrucou, pedindo esclarecimentos sobre “quem é o esperto”. “ Lamento… não ha o que esclarecer. Está na cara. Cada um pense o que achar melhor. Pelo que sei pensamentos e opiniões ainda são livres”, respondeu Silvia, para nova intervenção de Petruzziello: “Lamento Silvia que você fique atirando pedras sem saber e sem ouvir a verdade. Pensamento e opiniões são livres, acusações tem que ter motivo.”

Neili Dalla Rovere marcou “Walter Petruzzielo em um acordo com um agendamento que deveria ser de graça… Vocês deveriam brigar pra que o agendamento funcionasse, não pra que fosse mais barato!!!”, enquanto outros internautas procuravam explicar os problemas do ‘prenota online’, como, por exemplo, Henrique Leal Pedrotti: “O Prenota cria a dificuldade e essas empresas vendem a facilidade. É humanamente impossível agendar, essas empresas tem scripts que fazem 3 tentativas por segundo”.

Muitos internautas passaram a defender ou compreender a ação de Petruzziello, como Renato S. Yamane:  “Olha, sinceramente eu acho que o Walter A. Petruzziello não agiu de má intenção. Mas ao invés de buscar essa alternativa, ele deveria ter brigado mais para que o Prenota funcionasse”. Outros, passaram a questionar o sistema adotado por Porto Alegre, que tirou do ar o serviço ‘Prenota Online’ para estabelecer um sistema baseado em e-mails diretos ao consulado. “Só acho que agendamento por e-mail ainda continua ‘obscuro’, escreveu Anilo Lodron, para ser completado por Luciano De Luca:  “Agendamento por e-mail vai ser ruim. Sem transparência, só se tivesse um número sequencial gerado assim que chegasse a solicitação”.

O debate prosseguiu durante o dia de hoje, com centenas de internautas se manifestando, sugerindo soluções e lembrando situações ou, simplesmente, desaprovando a atitude de Petruzziello ou, mesmo, criticando Insieme por ter publicado o fato. Um dos pontos altos foi a troca de mensagens públicas via Facebook entre Petruzziello e o conselheiro do Comites PR/SC e igualmente advogado Elton Diego Stolf, que solicitou seja o assunto colocado na pauta da próxima reunião do Comites, já convocada para o dia 11 próximo, nas dependências do Palácio Iguaçu, sede do governo do Estado do Paraná.