Preocupação com o futuro do Talian marca o XXII Encontro dos Difusores da segunda língua mais falada do Brasil

377

A preocupação com a continuidade do jeito Talian de falar foi uma das manifestações mais evidentes do XXII ‘Incontro Nassional dei Difusori del Talian’, realizado durante todo o último sábado e parte do domingo na cidade gaúcha de Serafina Corrêa. O encontro, que reuniu comunicadores e estudiosos do Talian aconteceu no Colosseo, uma das réplicas de edificações italianas históricas construídas na cidade onde nasceu o movimento pelo reconhecimento oficial da segunda língua mais falada do Brasil.

O encontro foi promovido pela Assodita – Associação dos Difusores do Talian, Feibemo – Federação das Entidades Ítalo-Brasileiras do Meio Oeste Catarinense e pela Fibra – Federação das Associações Ítalo-Brasileiras do Rio Grande do Sul, além da Prefeitura local, cujos presidentes, respectivamente, Edgar Maróstica, Alindo Cassol e Paulo José Massolini, abriram os trabalhos e conduziram os debates.

Dentre os que realizaram palestras esteve a coordenadora do Comitê Nacional de Gestão da Língua Talian, Nedi Teresinha Locatelli, que falou sobre a “gestão da língua Talian, um processo em construção”, e apresentou propostas para a sequência dos trabalhos junto ao órgão que integra no governo federal. Também palestrou Rosângela Morello, da coordenação geral do IPOL – Instituto de Investigação e Desenvolvimento em Política Linguística, que tem sede em Florianópolis-SC, que falou sobre as minorias linguísticas no Brasil e políticas a respeito, além do professor Marcos Zancan, da Universidade Federal de Santa Maria-RS, para expor o projeto de extensão universitária de que é coordenador.

João Wianei Tonus, integrante do Colegiado Setorial da Diversidade Linguística do Rio Grande do Sul, dentre outros conferencistas, relatou a experiência pioneira no Brasil de que é protagonista e desenhou uma proposta especial de turismo baseada exatamente nas rotas da diversidade linguística existente no Estado.

O encontro, que abordou também outras experiências em andamento sobre o ensino do Talian em escolas públicas municipais, como em Camargo-RS, e sobre a abertura proporcionada pela próxima Festa da Uva, de Caxias do Sul para o mundo talian, foi interrompido à noite para um jantar durante o qual a Fibra homenageou uma dezena de personalidades que se empenham na difusão da língua e da cultura Talian no Sul do Brasil, como faz todos os anos.

A parte da manhã de domingo, após missa celebrada totalmente em Talian pelo padre Alberto Domingos Tremea na igreja matriz de Serafina, foi dedicada à apresentação de moções e à realização de Assembléia Geral Ordinária da Assodita, que continuará sendo presidida por mais um ano por Edgar Marostica.