Silencia a voz da emigração

u PORTO ALEGRE – RS – Deliso Villa, autor de Storia Dimenticata, faleceu a 25-9-2006, em Romano d’Ezzelino, província de Vicenza, Itália, onde residia.

Nascido em Piacenza em 1923, dedicou toda sua vida aos emigrantes, a serviço dos quais trabalhou como missionário durante 22 anos na França, Bélgia e Luxemburgo; 15 anos, em Paris, onde dirigiu o Semanário L’Eco d’Italia, que então era o jornal da emigração mais difundido na Europa. Retornando à Itália, no final da década de 1980, decidiu escrever um livro, e, seduzido pela sua própria experiência, escreveu um outro. Diz:.”Non pensavo all’emigrazione. Volevo semplicemente parlare di un vescovo, monsignor Scalabrini, per illuminare meglio la sua straordinaria grandezza… Scalabrini era poco conosciuto dagli italiani perché l’emigrazione era, a sua volta, poco conosciuta… Quella che doveva essere la storia di un grande vescovo era diventata – per forza delle cose – la storia dell’emigrazione italiana.”

Nos últimos anos, embora limitado pela enfermidade, continuava lutar para divulgar no mundo sua Storia Dimenticata, publicada no Brasil em edição bilingue por EST Edições (2002, fone 51 33361166, e-mail: freirovilio@esteditora.com.br), considerada a obra referencial e clássica da emigração italiana.

Storia dimenticata é a única obra sobre a Emigraçã da Itália para o mundo que situa a vida, história, economia, política e religião da Itália no momeneto do grande êxodo, a partir da documentação oficial e da experiência do Autor, o que dá à obra um aspecto histórico-antropológico. Storia Dimenticata não agradou à Itália, tanto assim que várias editoras rejeitaram sua edição, alegando que o tema emigração não interessa ao pais. É que, no pensar de Villa, a Itália tem medo de divulgar o que aconteceu com seus filhos, obrigados a vagar pelo mundo em busca de sonhadas américas.

Para conhecer a dimensão da imigração, necessário se faz conhecer o fenômeno da emigração, fenômeno este quase exclusivamente tratado de forma exaustiva e completa por Deliso.

Longe 131 anos dos primórdios da emigração e da imigração, vamos às fontes para entender e nos entendermos dentro desta grande história