“É a primeira vez que um programa de governo fala de uma política para os italianos no exterior”. E Merlo declara apoio a Conte

401

O Maie – ‘Movimento Associativo Italiani all’Estero’ dará o voto de confiança ao governo de Giuseppe Conte, disse hoje no início da tarde o senador Ricardo Merlo, eleito pela América do Sul.

O apoio, segundo o senador, deve-se ao item 10 do “Contratto” no qual deve se basear o novo governo, “onde existem 10 linhas que falam dos italianos no exterior”, que Merlo entende como “um verdadeiro projeto de uma política para os italianos no exterior”.

Segundo o parlamentar, desde 2006 no Parlamento, o Maie esteve sempre na oposição “porque nenhum governo tinha uma política séria para os italianos no exterior”.

Merlo, ao lado dos dissidentes do M5S – ‘Movimento 5 Stelle’ – foi o único a declarar-se favoravelmente ao governo em formação, além do próprio M5S de Luigi Di Maio e da Liga, de Matteo Salvini. Esse apoio será fundamental no Senado, onde a margem de equilíbrio é bastante estreita.

As declarações de Merlo foram feitas no início da tarde, após a entrevista que teve com o advogado Giuseppe Conte, indicado por Di Maio e Salvini para ser o presidente do Conselho de Ministros do novo governo italiano, depois de ter recebido a incumbência do presidente da República Italiana, Sergio Mattarella. Ele falou ao lado do deputado Salvatore Caiata, ex-M5S, que garantiu o apoio do grupo Maie na Câmara dos Deputados.

Conte será o sexto premier não eleito para o parlamento a chefiar um governo italiano desde a instalação da República que, no próximo dia 2 de junho, comemora o 72º aniversário. O processo de formação do novo governo deve concluir a fase de articulações iniciadas há mais de 80 dias, logo na sequência das eleições de 4 de março, que deu vitória à coligação de Centro-Direita e ao M5S (como partido isolado, o primeiro colocado nas urnas).

Indiferente às informações contraditórias que sacodem a União Europeia diante das posições conhecidas dos dois partidos sobre temas como Euro, imigrantes, dívida externa etc, e ao próprio debate interno italiano, Merlo aparentemente motivou-se na prometida abertura do novo governo às questões dos italianos no exterior. “Não sei se vocês sabem – disse o parlamentar aos jornalistas – mas a rede consular foi destruída pelo governo precedente”.

O futuro premier italiano Giuseppe Conte na audiência com o senador Ricardo Merlo. (Foto Divulgação)

Veja as declarações de Merlo, na íntegra: “Bom dia a todos. Eu sou o presidente do Maie – Movimento Associativo dos Italianos no Exterior. Desde 2016 estamos no Parlamento. Estivemos sempre, infelizmente, na oposição. Porque nenhum governo desenvolveu uma política séria para os italianos no exterior. Nesta legislatura, além de concordarmos em grande parte dos itens do “Contratto”, o programa de governo, para nós tornou-se fundamental o ponto 10 onde existem 10 linhas que falam dos italianos no exterior. Um verdadeiro projeto de uma política para os italianos no exterior. Rede Consular. Não se se vocês sabem, mas a rede  consular foi destruída pelo governo prededente. O Made in Italy, fundamental neste momento econômico para a Itália; a promoção da língua e da cultura italiana; a reforma da modalidade do voto no Exterior (nós queremos um sistema que oferece zero de possibilidade de fraudes); e depois a reforma dos organismos de representação – Comites e CGIE. Devo dizer que essa é a primeira vez que nos encontramos diante de um programa de governo que fala de uma política para os italianos no exterior.  Nós, que fomos eleitos com o nosso símbolo, decidimos apoiar e expressar nossa confiança a esse programa  de governo. Obrigado.”