Reunião define, nesta quinta, regras gerais para o debate entre os candidatos ao Parlamento Italiano

948
Debate entre candidatos ao Parlamento Italiano será transmitido nacionalmente através da TV Câmara. (Arte modificada/Insieme)

Uma reunião entre os candidatos que concorrem a uma vaga no Parlamento Italiano nas eleições de 4 de março próximo definirá, nesta quinta-feira, as regras a serem seguidas durante o primeiro debate do gênero entre os concorrentes que deverá acontecer em rede nacional através da TV Câmara, no início do próximo mês.

O encontro será realizado na sede da Società Giuseppe Garibaldi, em Curitiba, sob a presidência de Diego Mezzogiorno, na condição de representante da FNIB – Fundação Nacional Ítalo-Brasileira, entidade em formação. FNIB e Revista Insieme tomaram a iniciativa de organizar o evento que terá, também, a participação de outros veículos da “imprensa italiana”, como a Revista “Comunità Italiana”.

O debate, que tem o aval da presidente da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara dos Deputados, em Brasília, deputada Bruna Furlan (que também integra o elenco dos organizadores), deverá ter a moderação do jornalista Carlos Alberto Suriano do Nascimento – o Carlos Nascimento do SBT, que é ítalo-brasileiro e se disponibilizou a emprestar sua experiência para o sucesso da iniciativa. O evento está sendo programado para ter a duração de cerca de duas horas e, além da transmissão ao vivo, seu conteúdo será também disponibilizado nas redes sociais.

Para o encontro dessa quinta-feira nem todos os candidatos poderão estar presentes. Mas todos os partidos até aqui concorrentes confirmaram participação através de algum representante autorizado. O objetivo, segundo Mezzogiorno, é “estabelecer algumas regrinhas” que, previamente acordadas pelos participantes, contribuirão para o sucesso do evento que “se pretende seja de alto nível e em condições de ajudar o eleitor na sua decisão de escolha”.

Os italianos que residem fora da Itália participam das eleições italianas através do voto por correspondência e, no que a Constituição Italiana chama de Circunscrição Eleitoral do Exterior, elegem uma bancada de 18 parlamentares – 12 deputados e seis senadores. Essas cadeiras são distribuídas com base no número de eleitores existentes em cada uma das cinco áreas do exterior. Na América do Sul, por exemplo, os cerca de 1.300.000 eleitores italianos elegerão seis parlamentares, sendo quatro deputados e dois senadores. O Brasil é o segundo maior colégio eleitoral da área, com cerca de 350 mil eleitores cadastrados.

O voto, que na Itália acontece no dia 4 de março, no exterior é antecipado. Já após o carnaval os consulados enviarão, por correio, os envelopes eleitorais à residência de cada eleitor cadastrado no serviço eleitoral italiano. Após assinalada preferência eleitoral, os envelopes pré-selados são devolvidos aos consulados, também através dos correios ou em mãos em cada sede consular.