Eleições italianas: Consulado anuncia formalmente processo eleitoral, e adverte para penalidades legais sobre eventuais fraudes

PATROCINANDO SUA LEITURA

CURITIBA – PR – “O voto é pessoal e secreto. É proibido votar mais vezes e enviar fichas em nome de outras pessoas”. Com tais recomendações que remetem eventuais violações a punições legais, o Consulado Geral da Itália em Curitiba, assim como estão fazendo todos os consulados italianos pelo mundo, emitiu comunicado para anunciar o que já é do conhecimento público: haverá eleições para a Câmara dos Deputados e para o Senado da República nos próximos dias 24 (das 8 às 22 horas) e 25 (das 7 às 15 horas) de fevereiro, na Itália, enquanto os eleitores italianos inscritos na Circunscrição do Exterior votarão por correspondência.

Como em eleições anteriores, o material para o exercício do voto será enviado por correio pelos consulados italianos até o dia 6 de fevereiro (Foto Desiderio Peron / Arquivo Insieme)

No exterior, entretanto, a eleição acontecerá antes daqueles dias, num processo que, devido aos tempos exíguos, exigirá muita mobilização dos próprios consulados, dos candidatos e também dos eleitores. Assim, a cada eleitor no exterior que não tenha optado (o prazo se encerrou dia 3 de janeiro) por votar na Itália deverá receber dos consulados até o dia 6 de fevereiro um envelope contendo o material para o exercício do voto: uma folha explicando como votar, o certificado eleitoral, as cédulas eleitorais e um envelope pre-selado para a devolução, também por correio, aos consulados, até as 16 horas do dia 21 de fevereiro.

O comunicado informa ainda que os eleitores que, até o dia 10, não receberem o material para votar, poderão solicitá-lo diretamente nas sedes consulares, após verificar sua situação eleitoral. No comunicado há a indicação do site