Trentinos de Santa Catarina e do Paraná reunem-se após encontro com Tremaglia em Curitiba

1661

PATROCINANDO A SUA LEITURA

Força trentina do Paraná e Santa Catarina no encontro com o ministro Tremaglia (centro), na Società Giuseppe Garibaldi, em Curitiba-PR (Foto DePeron/Insieme) 

 

u CURITIBA – PR – Presidentes de cïrculos trentinos dos Estados do  Paraná e Santa Catarina estiveram reunidos recentemente em Curitiba para discutir aspectos da agenda de atividades conjuntas para a segunda metade deste ano. O encontro foi no auditório Gianfranco Bertoni do Comitato Dante Alighieri e acontece na tarde do segundo dia da visita do ministro Marcio Tremaglia, dos Italianos no Mundo, em 3 de junho. Pela manhã, os líderes trentinos fizeram demonstração de força e unidade ao participar da recepção do ministro na sede da Sociedade Giuseppe Garibaldi.

O encontro trentino, encabeçado pelo círculo de Curitiba, foi prestigiado também pela presidência da Federação dos Círculos Trentinos no Brasil e serviu para alinhavar detalhes do programa que acontecerá no dia 16 de julho em Blumenau-SC, quando mais de 2000 pessoas deverão assinar a opção de cidadania, primeiro passo para a obtenção do reconhecimento da cidadania italiana por direito de sangue para aqueles que descendem de imigrantes uma vez residentes nas áreas do antigo império Austro-Hungárico.

É o círculo trentino de Curitiba o responsável pelo encaminhamento perante o Consulado Geral da Itália de todos os processos (alguns de famílias inteiras) de interessados na obtenção do reconhecimento da cidadania italiana.

O prazo para a declaração de opção expira, a princípio, em 14 de dezembro próximo, mas há um forte movimento solicitando a prorrogação da lei. Ao ministro Tremaglia os trentinos solicitaram ajuda para a mudança da Lei. É em Santa Catarina, com preponderância no Vale do Itajaí, onde se concentra a maior comunidade trentina fora da Itália.

Segundo Ivanor Minatti, presidente do Círculo de Curitiba e assessor da Federação dos Círculos Trentinos, ficou acertado que cada interessado na cidadania pagará à entidade uma taxa simbólica de R$ 30,00 para ajudar nas custas do encaminhamento dos processos. O valor é consignado ao círculo local que fará o repasse ao círculo de Curitiba, hoje com uma estrutura com seis funcionários dedicados exclusivamente ao preparo dos processos que são encaminhados a Roma para análise da Comissão Interministerial especial.