Queijos gorgonzola e provolone serão produzidos em Santa Catarina. Equipamentos, tecnologia e queijeiros são italianos

432

Queijos gorgonzola e provolone ‘made in’ Santa Catarina com a qualidade dos produtos italianos. Esta a novidade que brevemente estará nas gôndolas dos supermercados brasileiros, segundo garante o empresário catarinense Acari Luiz Menestrina, fundador e presidente da Gran Mestri Alimentos S/A que, em breve, colocará em funcionamento “a maior fábrica de gorgonzola e provolone do Brasil e da América Latina”, segundo informou a Insieme.

Todo o equipamento, técnica e, inclusive, os mestres queijeiros foram buscados na Itália, segundo Acari disse durante a recente visita do embaixador da Itália no Brasil, Antonio Bernardini, realizada em Florianópolis, que marcou o início do serviço descentralizado de coleta de impressões digitais para a emissão de passaportes italianos. “Nós vamos fazer o provolone “dolce” e o “piccante’ e o “stravecchio” e também vamos trazer a grande tecnologia do gorgonzola “dolce” e “piccante”, disse Acari, ao salientar que, hoje, o Estado de Santa Catarina, “com 1,3% do território nacional é o quinto produtor de alimentos do Brasil”.

No setor do leite, o Estado é o quarto maior produtor nacional e 80% de toda essa produção está estabelecida no Oeste catarinense, onde cerca de 80 mil famílias produzem pasto e leite. Segundo Acari, o mercado brasileiro é carente de produtos de qualidade no setor de queijos de qualidade. “Enquanto na Itália o consumo médio é de 15 quilogramas per capita, no Brasil o consumo está em 5,5 quilogramas per capita, sendo 4 quilos ‘commodities’ e 1,5kgr diferencial”. A seguir, reproduzimos a fala de Acari Luiz Menestrina, de origens trentinas e natural de Rio dos Cedros, contida no vídeo que publicamos:

A capacidade de estocagem da Gran Mestri é de 1,3 milhão de quilos. (Fotograma / Gran Mestri)

“Santa Catarina tem 1.13% do território nacional e é o quinto produtor de alimentos do Brasil.E hoje, no setor de leite, somos o quarto produtor nacional. É uma bacia leiteira que cresce 8 a 10% ao ano e 80% dessa produção está localizada no Oeste do Estado. Nós temos 80 mil famílias que produzem leite em regime familiar, em minifúndios, pequenas propriedades e a base da produção do leite está no pasto, porque a vaca realmente foi feita para comer pasto verde. Temos as quatro estações do ano praticamente na mesma hora e praticamente toda a produção de leite é à base de pasto. Então, primeiro os produtores são plantadores de pasto para, depois, serem produtores de leite.

A Gran Mestri hoje é a maior fábrica de queijos duros do Brasil e da América Latina, com uma capacidade de estocagem de um milhão e 300 mil quilos de queijo. Nós importamos todo o nosso equipamento da Itália, onde visitamos todas as fábricas para termos os modelos corretos de como produzir. A gente trouxe os mestres queijeiros italianos e todos os ingredientes também foram trazidos da Itália e agora, além da produção de queijos duros, manteiga, queijos de ovelha e parmesãos, estamos montando a maior fábrica de gorgonzola e provolone do Brasil e da América Latina.

Nós fomos para a Itália, visitamos as maiores fábricas de provolone nas regiões de Cremona e Novara, fomos às fábricas de equipamento e trouxemos equipamentos; fomos às fábricas de coalho e fermentos lácticos e também trouxemos esses fermentos, e os mestres queijeiros estão vindo agora para desenvolver o produto. Nós vamos fazer o provolone “dolce” e o “piccante’ e o “stravecchio” e também vamos trazer a grande tecnologia do gorgonzola “dolce” e “piccante”. Nós vamos produzir em torno de 300 toneladas, entre provolone e gorgonzola. Portanto, vai ser a maior fábrica do Brasil e da América Latina, com equipamentos italianos, tecnologia italiana, mestres queijeiros italianos que vêm desenvolver a receita e com pessoas certas no lugar certo, pessoal treinado e qualificado.

CONSUMO PER CAPITA – Enquanto na Itália o consumo é de 15 quilogramas per capita, no Brasil o consumo está em 5,5 quilogramas per capita, sendo 4 quilos ‘comodities’ e 1,5kgr diferencial. Então esses produtos faltam aqui no Brasil. Então o grande objetivo é produzir esses produtos de alta qualidade, saudável, com segurança alimentar para atendimento do mercado nacional e substituir os importados.

CARRO-CHEFE É O TIPO GRANA – O projeto iniciou com o grana padano, o queijo tipo grana que, sem dúvida, é o carro chefe da empresa. A partir daí a gente diversificou para a linha de manteigas, dos parmesãos também. Então, o grande objetivo é seguir a linha dos queijos italianos.

PESSOAS ENVOLVIDAS – Nós envolvemos hoje diretamente mil pessoas entre empregos diretos na fábrica, produtores de leite, expositores, repositores, representantes comerciais e pessoas ligadas à logística em todo o processo.”