”Queremos é a porta aberta do governo italiano para um intercâmbio comercial e cultural cada vez mais forte”, diz governador Casagrande

403

Do meio empresarial ao mundo do associativismo, todos se dizem contentes com o anúncio da instalação de um “consulado italiano” em Vitória, no Espírito Santo. O compromisso, selado com a visita, dia 13 último do subsecretário e senador Ricardo Merlo, acompanhado do diretor geral para os italianos no mundo da Farnesina, Luigi Maria Vignali, do embaixador da Itália no Brasil, Antonio Bernardini, e do cônsul da Itália no Rio de Janeiro, Paolo Miraglia del Giudice, deverá ter andamento assim que o governo italiano informar sobre qual dos imóveis colocados à disposição pelo governo do Estado recaiu sua preferência.

“Este é um momento muito importante para o nosso Estado” – disse a Insieme o governador José Renato Casagrande, ao ser entrevistado ao lado do senador Merlo, que fez questão de observar, brincando, que o fato de ambos serem italianos e “trevisanos” facilita o diálogo. “Temos uma expectativa muito positiva” – completou Casagrande – “de que o governo italiano terá as condições de instalar a Agência Consular.”

“Mais do que resolver questões de cidadania italiana – enfatizou o governador – o que nós queremos é a porta aberta do governo italiano para um intercâmbio, uma relação comercial, cultural cada vez mais forte entre o Espírito Santo e a Itália”.

Um dos imóveis oferecidos para a instalação da Agência Consular de Vitória está localizado no edifício Michelini, no centro histórico da cidade, que pertence ao Centro do Comércio de Café (era sua antiga sede)  conforme conta o presidente Jorge Nicchio. Em assembléia, os sócios da entidade autorizaram o repasse dos dois andares do edifício ao governo do Estado para ser cedido ao governo italiano.

A notícia foi louvada também por um dos maiores produtores e exportadores de granito e mármore do Espírito Santo, o empresário Bruno Zanet, que inclusive ofereceu almoço à comitiva italiana numa de suas sedes industriais, já no interior do Estado. Flávia Milanez, da Milanez e Milaneze, ligada ao Gruppo VeronaFiere, também entende que uma presença mais efetiva do governo italiano no Espírito Santo vai ajudar nos negócios, enquanto Rita Bortoluzzi Herzog, do Comites – ‘Comitato degli Italiani all’Estero’ no Espírito Santo afirma que a instalação da Agência concretizará antigo sonho de sua mãe, Nerina, que, emocionada, não conseguiu conter o choro durante a solenidade no Palácio Anchieta.

Comitiva italiana encabeçada pelo subsecretário e senador Ricardo Merlo, nas dependências da indústria “Graniti Bruno Zanet”, no interior do Espírito Santo. (Foto Desiderio Peron / Revista Insieme)

O coordenador do Maie – ‘Movimento Associativo Italiani all’Estero’ no ES, Thiago Roldi, um dos organizadores do encontro, falou sobre a importância de uma maior presença da Itália no Estado, que está sendo propiciada pela presença do senador Ricardo Merlo no governo italiano, enquanto o presidente da Casa d’Italia, Cilmar Francescheto, lembrou o engajamento da comunidade ítalo-capixaba no movimento pela instalação da Agência Consular que haverá de reforçar os laços históricos, “mas também com os dias da Itália de hoje” . “É um dia para a história, mas vamos aguardar o dia histórico, que é a instalação definitiva da Agência Consular, ou do Consulado da Itália aqui no Espírito Santo”.