Protesto do dia 12: Com a adesão de Longo, faltam só Porta e Bueno para unir a América do Sul na pressão por melhores serviços consulares

3
376

Em toda a América do Sul, apenas os deputados Fabio Porta (PD) e Renata Bueno (Usei) não aderiram ainda à manifestação marcada para o próximo dia 12 de outubro diante do Consulado Geral da Itália em São Paulo. O último a aderir foi o senador Fausto Longo que, em vídeo postado nas redes sociais na manhã de hoje, passou a concitar os cidadãos à participação no “ato pacífico” inicialmente convocado pelo presidente do Comites – ‘Comitato degli Italiani all’Estero’ do Recife, Daniel Taddone.

Antes de Longo, já haviam aderido ao ato, que acontecerá das 11 às 13 horas, os integrantes do Parlamento Italiano pela América do Sul: Ricardo Merlo, Mario Borghese, deputados, e Claudio Zin, senador – todos do Maie – ‘Movimento Associativo Italiani all’Estero’, além de todos os coordenadores de área da América Latina.

“Recebo de forma muito positiva o convite feito pelo senador Fausto Longo para que as pesssoas se unam à nossa iniciativa que anima a manifestação do dia 12 de outubro. Estamos próximos da sonhada união de todas as forças em torno de um objetivo que diz respeito ao principal problema toda a comunidade ítalo brasileira, ou seja, a precariedade no atendimento dos serviços consulares italianos, notadamente as filas da cidadania e concessão de passaportes”, disse Tadone.

“300 Euros: chega de desculpa, a fila da cidadania tem de andar!” é o mote da manifestação que, além de pessoas da capital paulista, deverá contar com a participação de caravanas vindas de diversas cidades do interior e também de outros Estados.

A cobrança da chamada “taxa da cidadania”, iniciada há mais de três anos, amealhou aos cofres romanos grandes recursos que não estão sendo empregados na melhoria dos serviços consulares, o que faz Taddone perguntar se “é condizente com a oitava economia do mundo que um cidadão italiano de Curitiba tenha de esperar mais de um ano para obter um simples passaporte” através da “loteria do sistema de agendamentos eletrônicos”.

“Convidamos a todos os cidadãos ítalo-brasileiros a manifestar pacificamente em frente ao Consulado Geral de São Paulo no dia 12 de outubro 2017 – convoca o Senador Fausto Longo, em seu vídeo postado em seu perfil no Facebook -. Nessa ocasião, será entregue ao Cônsul Geral da Itália um documento subscrito pelos representantes de toda a América Latina. A manifestação deverá ocorrer entre 11 e 13 horas, na Avenida Paulista 1963. Participem conosco!”

Ainda segundo Fausto, “todos sabemos” um dos grandes problemas da comunidade italiana é agilidade dos consulados em relação “à nossa cidadania”. O senador diz que “é inacreditável” que em plena aera da informática tenhamos filas de 200, 300 mil pessoas aguardando 10 ou quinze anos na fila pelo reconhecimento de um direito.

A manifestação programada, segundo o senador, será “um exercício de cidadania para demonstrar ao governo italiano o nosso descontentamento com esta situação. “Se você puder – apela o parlamentar – participe”, para que “o governo perceba que nós queremos fazer parte dessa grande nação chamada Itália”. Ainda segundo Longo, a manifestação irá fortalecer o exercício “do nosso mandato, para que a gente tenha um pouco mais de força junto ao governo para exigir que ele inclua nos seus planos maiores investimentos na reestruturação da rede consular”.

A manifestação do senador Longo, de imediato, teve boa acolhida nas redes sociais, mas também suscitou reações. “O descontentamento não é apenas com o governo italiano, mas com os representantes, que pouco fazem para mudar a situação atual, haja vista que desde a implantação dos 300 Euros a situação pouco se alterou. Jogar para a torcida, agora, é típico de políticos. Vamos ver qual destes estará presente ao ato, de fato demonstrando que a causa é deles também com attitudes e não apenas incentivando tardiamente um comparecimento”, comentou, por exemplo, o internauta Daniel Gustavo Primo, no grupo privado “Cidadania Italiana – Área Livre”, com mais de 105 mil inscritos.

Embora, por questões partidárias, o senador Fausto Longo tenha votado a favor da taxa dos 300 euros (na verdade ele chegou até a cogitar de um ‘imposto sobre a cidadania’), a manifestação dele é coerente com seu discurso logo após eleger-se senador em 2013. Num dos vídeos gravados por Insieme à época, ele dizia que “agora chegou a hora de respeitar essa Itália que existe e que fora da Itália”. Criticando o atendimento que os ítalo-brasileiros têm dos consulados que operam no Brasil, o senador dizia que “a impressão que se tem é que a gente é um cidadão de segunda categoria, porque somos mal recebidos”.

Além do silêncio da deputada Renata Bueno (ela sequer respondeu ao questionamento inicial feito a todos os parlamentares sobre o manifesto do dia 12 de outubro), a posição mais esperada permanece a do deputado Fabio Porta que, embora tenha qualificada como “bem vinda” qualquer manifestação pacífica e democrática em defesa de uma boa causa, “inclusive a melhoria dos serviços consulares”, afirmou não participar “desta ou de outras iniciativas organizadas às vésperas das próximas eleições por um partido político que há 12 anos sempre teve no Parlamento o maior número de parlamentares eleitos na América do Sul mas nada fez de concreto para resolver o problema da fila”.

A rotulação do protesto como vinculado ao Maie, entretanto, Além de gerar uma resposta contundente do deputado Ricardo Merlo, foi posteriormente desmentida pelo próprio autor da iniciativa, Daniel Taddone, ao lançar extensa nota em que pergunta “onde estão nossos milhões de euros?” e dizer que a rotulação “é uma resposta típica de quem vê fantasmas em todo o lugar”.

Um abaixo assinado dirigido a Porta, Bueno e Longo está ainda transitando na Internet onde há um pedido de comparecimento aos três parlamentares italo brasileiros na manifestação diante do consulado italiano de SP.

3 COMENTÁRIOS

Comments are closed.