Ministra da Defesa italiana, Elisabetta Trenta, visita o Brasil em meio a rumores de substituição iminente do embaixador Bernardini

1436

Em meio aos rumores de que o próximo representante diplomático da Itália no Brasil, em substituição a Antonio Bernardini, poderá ser uma mulher, chega amanhã no Brasil, para uma visita oficial, a ministra da Defesa do governo italiano, Elisabetta Trenta. Segundo Insieme acaba de apurar, ela estará em Recife, São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.

Sempre acompanhada do embaixador Bernardini, a autoridade italiana terá encontro com o general Hamilton Mourão, que está no exercício da Presidência do Brasil, e também toda a cúpula das Forças Armadas do Brasil. Em São Paulo, segundo se sabe, ela participará de um jantar no restaurante panorâmico Terrazzo Italia. Trenta, 52 anos, natural de Velletri, Lácio, é a segunda mulher a ocupar o cargo de Ministro da Defesa e foi indicada pelo “M5Stelle”.

Insieme não conseguiu mais detalhes sobre o programa da ministra. Mas enquanto isso, fontes ligadas à Farnesina informavam que, apesar de o período regimental de Bernardini expirar-se somente em meados do próximo ano, já existem candidaturas aspirantes ao posto e uma delas seria a da diplomata Antonella Cavallari, ex-embaixadora no Paraguai e atual diretora para a América Latina do Ministério das Relações Exteriores e Cooperação Internacional – Maeci.

Normalmente o período de permanência de um diplomata italiano no posto é de quatro anos, mas nada impede que o tempo possa ser abreviado. A possível substituição antecipada de Bernardini foi justificada a Insieme como decorrência das “alterações havidas na composição do governo brasileiro”.

Antonella Cavallari ao lado do então embaixador da Itália no Brasil, Gherardo La Francesca, durante visita a Curitiba, em novembro de 2010 (Foto Desiderio Peron / Arquivo Revista Insieme)

A diplomata, que já viveu no Brasil recentemente, segundo as mesmas fontes, estaria sendo fortemente apoiada pela embaixadora Elisabetta Belloni que, entre outros cargos, já foi chefe de gabinete do Ministro das Relações Exteriores, onde hoje é secretária geral. Cavallari é esposa do também diplomata (aposentado) Gherardo La Francesca, que foi embaixador da Itália no Brasil.

La Francesca, segundo uma fonte de Insieme, estaria residindo em São Paulo e desenvolve negócios envolvendo o Brasil, a Itália e o Paraguai. A eventual nomeação de sua esposa para o cargo de embaixadora foi saudada pelas pessoas consultadas por Insieme com muita simpatia; mas também com reações inesperadas como esta: “estaria a política internacional da Itália sendo guiada pelos interesse ditados por negócios familiares?”

Consultado sobre os rumores, o subsecretário para os italianos no mundo, senador Ricardo Merlo (Maie), disse nada saber sobre o assunto. Também o deputado Luis Roberto Lorenzato não quis se pronunciar, enquanto o ex-deputado Fabio Porta, igualmente disse nada saber. “a mulher dele (Antonella) está trabalhando em Roma no Maeci. Mas ele è aposentado e dirige um projeto entre Italia, Brasil e Paraguai. Talvez vem aqui de vez em quando”, disse Porta. Outras fontes consultadas por Insieme apenas se pronunciaram sobre a capacidade de trabalho da diplomata. “Antonella seria ótima; muito dinâmica e inteligente”, disse um funcionário de carreira da Farnesina.

O ex-cônsul geral em Porto Alegre, Nicola Occhipinti, também consultado por Insieme, observou que “faltam 18 meses para a conclusão do mandato do embaixador Bernardini”. O diplomata esteve recentemente em Roma, durante ou na sequência da prisão do ex-terrorista Cesare Battisti em território boliviano, depois de ter fugido do Brasil assim que assinada a sua extradição, pondo fim a um longo período de tratativas e negociações entre Brasil e Itália.