Coral folclórico italiano Santa Felicidade faz 75 anos. Tem festa no próximo dia 26

599

Grupo nasceu no final da II Guerra Mundial com a finalidade de preservar e cultivar as tradições italianas da chamada Colônia – um pequeno espaço urbano de Curitiba hoje chamado Santa Felicidade


 

O Coral Folclórico italiano Santa Felicidade está fazendo 75 anos de existência, fundado que foi em 19 de março de 1945, já no final da II Guerra Mundial. Um evento marcado para o próximo dia 26, nos salões do Restaurante Madalosso, em Curitiba, vai comemorar o aniversário do grupo com comida, bebida e, é claro, muita cantoria.

PATROCINANDO A SUA LEITURA

Com pouco mais de vinte integrantes atualmente, o grupo está aceitando inscrições de pessoas interessadas no canto (música folclórica, sacra e popular italiana) e enquanto isso está também preocupado com sua própria história, conforme explica a diretora cultural Jessica Tulio. Ao lado de seu pai, ela comanda o processo do que chama de “memória” desse longo período de atividades do coral.

Conforme se pode ler na página Facebook do grupo, o coral tem como objetivo “preservar as canções italianas e os valores da época da imigração italiana no Brasil”. Desde o início, a finalidade do Coral “foi preservar e cultivar as tradições italianas da chamada Colônia, um pequeno espaço urbano de Curitiba”, hoje famoso internacionalmente pela gastronomia da imigração italiana italiana em seus diversos restaurantes. “Tantas canções, costumes e valores culturais foram assim estimulados e chegaram até os dias atuais.”

“Os primeiros tempos – lê-se ainda – se deram em torno da igreja da colônia, com a direção de religiosas interessadas em disseminar o canto religioso. Reuniram rapazes e moças que freqüentavam as celebrações religiosas, constituindo assim um grupo de cantores para os cânticos sacros, que o direcionou para um rico repertório litúrgico, que enriquecia de solenidade as missas e outras celebrações na igreja de São José”. Foi em l978, no Centenário da Imigração Italiana no Paraná, que “as chamas da tradição reascenderam”, e o coral instituiu-se juridicamente “e ampliou o seu repertório para as canções folclóricas. Tornou-se Associação Civil Cultural, com estatuto próprio, sem fins lucrativos, inscrita no Ministério da Cultura, reconhecida como de utilidade pública pelos governos estadual e municipal”.

Com orgulho, o coral descreve suas atividades: “No idioma italiano ou no dialeto vêneto, no latim ou ainda na língua portuguesa, o Coral tem participado de inúmeros eventos culturais e religiosos no Bairro Santa Felicidade, em outros logradouros da Região Metropolitana de Curitiba, como a Festa da Uva, a Festa do Vinho, as Missas no idioma italiano, o Encontro de Corais e outros. Além do Paraná, o grupo já esteve se apresentando nos Estados de São Paulo, Rio Grande do Sul e Santa Catarina”.

Desde fevereiro de 2001, o Coral está em sua sede própria, à Rua Calisto Cumin, 346, no bairro de Santa Felicidade, sobre área cedida pelo poder público municipal. Com pelo menos três Cds gravados, o coral desde 2012 é dirigido pelo maestro Anderson Luis Ombrellino, enquanto a parte instrumental está a cargo do músico curitibano Marcos Panasco desde 1996.